Home»Destaque na Home»Zanco e Thomaz retornam de Brasília com pedidos reforçados para cidade

Zanco e Thomaz retornam de Brasília com pedidos reforçados para cidade

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O presidente da Câmara Municipal de Mogi Guaçu, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), e o vereador Thomaz de Oliveira Caveanha (PTB) retornaram de Brasília (DF) após participarem do Congresso para Vereadores, na Capital Federal, e também visitarem gabinetes dos deputados federais. Zanco e Thomaz pontuaram que o evento foi proveitoso, mas ressaltaram que não perderam o foco em visitar os gabinetes dos deputados. Entre eles, os dois vereadores estiveram com Nelson Marquezelli (PTB) e com Márcio Alvino (PR). Na ocasião, Zanco e Thomaz reforçaram as necessidades de Mogi Guaçu e pleitearam a liberação das emendas parlamentares para a cidade o quanto antes. “O Marquezelli, por exemplo, já está conversando há tempos com o prefeito Walter Caveanha (PTB) e já destinou algumas verbas para nossa cidade. O Márcio Alvino também está empenhado em acelerar a entrega do dinheiro que será usado na construção dos viadutos em Mogi Guaçu. Ele já vem conversando com o vice-prefeito Daniel Rossi (PR). Então, fomos apenas reforçar os pedidos e mostrar que estamos empenhados”, comentou o presidente da Câmara Municipal.

Clima

Zanco e Thomaz também comentaram que o clima em Brasília estava agitado e tenso na Câmara dos Deputados e não era por causa da iminência da votação da Reforma da Previdência, mas, sim, devido ao discurso de renúncia do deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR).

De acordo com Zanco, em todas as rodas de conversa pelos corredores da Câmara dos Deputados o assunto era exclusivamente a decisão de Tiririca em deixar a função. “Não esperávamos isso. Estávamos preparados para ouvir dizer muito sobre a Reforma da Previdência. Mas, não. Só se falava da renúncia de Tiririca”.

Zanco observou que havia várias especulações em torno do assunto. Segundo ele, alguns acreditavam que Tiririca quis apenas chamar a atenção por causa da proximidade das eleições no ano que vem. “Ele não fez nada nestes sete anos que permaneceu lá, em Brasília. Nunca tinha subido à tribuna para discursar. Então, tem quem considere que ele quis aparecer”, contou.

Já outros, segundo Zanco, defendem que a decisão de Tiririca foi por causa de desavenças internas com os demais deputados e também com representantes do Governo Federal. “Tem quem acredite que ele queria cargos ou mais espaço político dentro da base aliada. Como não conseguiu, partiu para o discurso de renúncia”.

O fato é que até a última quinta-feira (7), Tiririca não tinha feito sua renúncia por meio de documentos, o que é primordial para efetivar sua saída da função de deputado federal. “Por enquanto, estava só no discurso e havia dúvidas se ele iria concretizar de fato sua renúncia”, pontuou Zanco.

Sessão

Nesta segunda-feira (11) será feita a última sessão ordinária deste ano, na Câmara Municipal de Mogi Guaçu. A sessão tem início às 19 horas e não terá nenhum Projeto de Lei polêmico para ser votado pelo plenário. No entanto, Zanco aposta na demora da sessão devido aos discursos na tribuna. “Muitos vereadores vão querer falar avaliando este primeiro ano do mandato. Isso deverá prolongar a sessão”, comentou.

sessão de Câmara_SITE

Zanco não descarta que em janeiro do ano que vem, durante o recesso parlamentar, a Casa de Leis seja convocada pelo prefeito para realizar sessão extraordinária. “Claro que dependerá do prefeito. Por enquanto, está tudo tranquilo. Esvaziamos nossa pauta de votação neste ano”, concluiu o presidente da Câmara.

 

Post anterior

Homem morre após ser esfaqueado

Próximo post

Animais resgatados aguardam adoção e doações