Home»Destaque na Home»Vereadores cobram início das obras entienchentes

Vereadores cobram início das obras entienchentes

Após a aprovação pela Câmara dos últimos empréstimos, vereadores pediram agilidade da Prefeitura

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A chuva que caiu no último final de semana foi suficiente para acender o sinal de alerta nos vereadores. Por conta disso, eles voltaram a cobrar a Prefeitura sobre o projeto antienchentes do Jardim Santa Terezinha I. Na última segunda-feira (2), durante sessão da Câmara, os vereadores cobraram que o Executivo apresente o projeto e, principalmente, dê início ao processo de licitação que irá contratar a empresa que ficará responsável pela obra.

O assunto já havia sido amplamente discutido com o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, no último dia 26, quando ele foi sabatinado na Câmara. Diversos assuntos foram debatidos e o ex-vereador respondeu a todos os questionamentos feitos pela maioria dos vereadores. Apenas Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP), Jéferson Luís da Silva (PROS), Luiz Carlos Nogueira (PSD) e Thomaz Caveanha (PTB) não fizeram perguntas ao secretário.

Os assuntos foram desde as obras em andamento na cidade, passando pelas que estão paralisadas e problemas registrados, como a paralisação dos serviços de manutenção da iluminação pública, mas que já foram retomados. Mas a principal preocupação foi com relação as obras antienchentes previstas para a região do Jardim Santa Terezinha I. Por conta disso, os vereadores aprovaram recentemente os empréstimos que totalizam R$ 13 milhões.

O vereador Fábio Aparecido Luduvirge Fileti (PSDB), autor da convocação do secretário, colocou um trecho de vídeo no telão no qual Salvador atende os moradores do Jardim Santa Terezinha e do Jardim Santa Cecília após mais um episódio de alagamentos nos bairros. Na ocasião, em abril desse ano, o secretário prometeu iniciar as obras de contenção dentro de 30 a 60 dias, o que não aconteceu. “O senhor se comprometeu com os moradores em abril e até agora nada. Qual o motivo que a obra não foi licitada imediatamente”, questionou Fabinho.

Franceli disse que a falta de orçamento impediu que as melhorias fossem feitas, conforme o combinado com os moradores. “Nós temos que trabalhar com orçamento e pensávamos que o valor seria menor do que vai ser. Não tínhamos esse valor previsto em orçamento”, explicou.

O secretário explicou como a obra será feita e foi questionado pelo vereador Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), se as melhorias previstas irão realmente resolver o problema de alagamento do Jardim Santa Terezinha. “Minha preocupação é com essas obras, pois já faz muito tempo que os moradores esperam por isso e tem que ser feito de uma forma que realmente resolva o problema deles”, ressaltou o vereador.

O secretário de Obras indicou quais ruas onde a nova tubulação de 1.000mm irá passar e ressaltou que tudo será feito para que os alagamentos sejam solucionados de uma vez. “Ela vai ser uma tubulação de 1.000 mm na Rua A com grelhas de capacitação nos três sentidos das vias, saindo daquela viela, saindo da Avenida Suécia e adentrando entre a SITI e a Refratários desembocando em uma galeria de 1.500 que nós temos na Avenida Honório Orlando Martini. Essa avenida também será contemplada com outra galeria”, explicou.

O secretário ressaltou que o processo licitatório está sendo preparado para que o edital seja publicado e a empresa escolhida, mas não falou sobre datas. A assessoria de imprensa da Prefeitura informou ontem (6) que “o projeto está sendo revisado antes de remetido para análise da Caixa, para que aí o recurso seja liberado”.

 

Canal

Em novembro do ano passado, as máquinas da Prefeitura trabalharam na limpeza do canal de águas pluviais no Jardim Canaã que faz ligação com o Jardim Santa Cecília. Todo trabalho foi feito após o registro de novos alagamentos naquela região. As obras continuam paralisadas. A construção do canal de águas pluviais no Jardim Canaã teve início durante a administração do ex-prefeito Paulo Eduardo de Barros, o Dr. Paulinho (MDB), entre os anos de 2009 e 2012. De acordo com o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, a obra está novamente paralisada, pois é a quarta empresa que abandona o serviço. “Recebi uma notificando da Caixa Econômica aprovando a reprogramação para licitar novamente a obra”, comentou.

 

Previous post

Mogi Guaçu traz três medalhas de etapa regional de karatê

Next post

GCM recebe caminhonete para patrulhamento na Zona Rural