Home»Destaque na Home»Vereadores checam denúncia sobre casas vazias

Vereadores checam denúncia sobre casas vazias

O objetivo foi verificar in loco se realmente o bairro está com cerca de 200 casas desocupadas

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Na manhã da última quarta-feira (15), feriado nacional, os vereadores Rodrigo Falsetti (PTB), Natalino Tony Silva (Rede Sustentabilidade), Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP); Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD); e Fábio Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB), percorreram algumas ruas do bairro Ypê Amarelo. O motivo é verificar in loco se havia realmente cerca de 200 casas desocupadas, conforme denúncia feita a eles por um grupo de reclamantes, na sessão da Câmara de segunda-feira (13).

Embora não tenham percorrido todo o bairro, que é formado por 1.400 casas, os vereadores confirmaram que havia algumas moradias desocupadas e, inclusive, foram apontadas a eles pelos próprios vizinhos. “Pelo menos, umas quatro, cinco casas estavam mesmo vazias e já anotamos os endereços corretamente para pedir providências”, observou o vereador Rodrigo Falsetti.

vereadores vistoria casas ipe amareloCom os endereços das casas identificadas como desocupadas, os vereadores informaram oficialmente a Secretaria Municipal de Promoção Social, a fim de cruzar os dados. “Vamos ver se os endereços que nós temos são os mesmos que a secretária Mariana Martini já tem. Caso tenha algum endereço que ela ainda não saiba, vamos entregar a ela para que peça providências da Caixa Econômica Federal para passar estas casas para os suplentes”, explicou Rodrigo.

 

Ameaça de invasão

Na sessão da Câmara de segunda-feira (13), um grupo de pessoas que está na lista de espera por residências populares compareceu à sessão e reuniu-se com os vereadores. O grupo queria saber o que pode ser feito pela Câmara para que estas residências desocupadas sejam retomadas o quanto antes e dadas às outras famílias que estão esperando. “Estamos aguardando há muitos anos por estas casas. Sabemos de pessoas que foram contempladas, mas têm condições de comprar uma casa e não precisam de uma moradia popular. Há centenas de casas no Ypê Amarelo que estão fechadas. Sem ninguém morando nelas”, denunciou, porém sem citar nomes, endereços ou apresentar qualquer outro documento que comprove a denúncia.

sessao de camara populacao casasO grupo de reclamantes não descartou a hipótese de invadir as casas que eles apontam como vazias, sem moradores. “Temos um grupo no WhatsApp chamado ‘Bora, Invadir’ e é isso que vamos fazer, porque ninguém está pensando na nossa situação. Muitos não têm mais condições de pagar aluguel, estão com ordem de despejo, sendo que há casas no Ypê Amarelo praticamente abandonadas por quem foi contemplado”, esbravejou o grupo.

Os vereadores reforçaram que a invasão é uma afronta à Justiça e tal atitude irá configurar crime que tornará a situação ainda mais complicada de ser resolvida. “Se vocês invadirem, será pior. Irá virar caso de Justiça. Essas casas têm dono”, pontuaram.

A Câmara irá convocar – por meio de requerimento – a Gerência Regional da Caixa Econômica, de Piracicaba, para prestar esclarecimentos sobre a burocracia que dificulta a retomada rápida de casas vazias, já que essa responsabilidade de repassar o imóvel para outro sorteado é da Caixa Econômica.  A secretária de Promoção Social, Mariana Martini, afirmou que desconhece que o bairro tenha 200 casas sem moradores. Ela informou ainda que há 41 casas desocupadas naquele bairro e que os ofícios referentes à retomada dessas residências já estão com a Caixa Econômica Federal. “Cabe ao banco retomá-las. Mas continuamos à disposição para receber denúncias e documentos que as comprovem”, reforçou Mariana.

sessao de camara populacao casas

Post anterior

Barros Munhoz recebe pedidos da Santa Casa

Próximo post

Idosa espera 3 horas e ambulância não chega