Home»Destaque na Home»Vereadores aprovam contas de 2015 do prefeito Walter Caveanha

Vereadores aprovam contas de 2015 do prefeito Walter Caveanha

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A Câmara Municipal de Mogi Guaçu aprovou a prestação de contas do prefeito Walter Caveanha referente ao ano de 2015. A votação foi realizada no último dia 7, durante a sessão e apenas dois vereadores votaram contra: Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), e Fábio Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB).

Em setembro do ano passado, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo deu parecer favorável às contas públicas de 2015, mas apontou ressalvas que precisam ser sanadas pelo Governo Municipal. Justamente por causa destas ressalvas é que os vereadores Guilherme e Fabinho decidiram votar contra a aprovação das contas públicas. “Falta de clareza. Tenho dúvidas quanto alguns gastos. Não sinto segurança em votar essa prestação de contas. Poderíamos ter adiado essa votação para outro dia, mas não aceitaram”, comentou o vereador Fabinho.

Fabinho votou contra a aprovação das contas de 2015
Fabinho votou contra a aprovação das contas de 2015

Já Guilherme justificou seu voto contrário alegando que têm dúvidas sobre os motivos que fizeram com que a Prefeitura de Mogi Guaçu tenha contraído uma dívida de R$ 22 milhões (restos a pagar), num curto prazo de tempo. “R$ 22 milhões é um valor muito alto e não sabemos o que resultou nessa dívida”, pontuou o oposicionista.

O vereador Jéferson Luís (PROS), líder do prefeito na Câmara, rebateu afirmando que as ressalvas foram pontuadas a fim de chamar a atenção do Governo Municipal para o cuidado com as finanças públicas. Um exemplo são os pagamentos de horas extras ao funcionalismo. “As horas extras devem ser feitas e consequentemente pagas quando foram de extrema necessidade. É uma recomendação para que o orçamento possa ser cumprido e as contas fechem no azul no fim do ano. Não vamos polemizar. A votação nessa Câmara não pode ser um julgamento político, e sim técnico”, observou Jéferson.

Antes do Projeto de Decreto Legislativo ir à votação do plenário, ele também foi aprovado pela Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal, formada pelos vereadores Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP); Natalino Tony Silva (Rede Sustentabilidade) e Guilherme da Farmácia. “Não precisamos adiar a votação das contas públicas de 2015, porque a Comissão de Finanças desta Casa teve tempo de analisar com cuidado todos os números e tirar as dúvidas. Agora é contraditório votar contra e causa todo esse mal estar”, disse Jéferson.

Jéferson disse que ressalvas sugerem recomendações ao Governo Municipal
Jéferson disse que ressalvas sugerem recomendações ao Governo Municipal

O vereador Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC), votou favorável ao parecer do Tribunal de Contas e justificou sua decisão, na tribuna da Casa. “Eu acompanhei o parecer favorável do TCE, porque os auditores do Tribunal de Contas tem capacidade técnica para avaliar, analisar e emitir o parecer a este documento”, explicou.

Portanto, com exceção do presidente da Câmara Municipal, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), que não vota, as contas públicas referente ao ano de 2015 foram aprovada por 8 a 2.

 

 

 

Post anterior

SSM tenta regularizar área junto à Cetesb

Próximo post

Equipe de atletismo conquista ótimo desempenho em casa