Home»Opinião»Tome Nota, sábado dia 7

Tome Nota, sábado dia 7

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Mais discursos

O ex-vereador Alexandro de Araújo, o Alex Tailândia (PRB), prometeu retornar à tribuna livre da Câmara Municipal em dezembro, antes do início do recesso parlamentar. Alex adiantou que irá falar sobre o transporte público de Mogi Guaçu e o aumento na tarifa do ônibus. “Estou acompanhando tudo de perto e voltarei a usar a tribuna livre, sim. É direito de todo cidadão. Só espero que da próxima vez a Câmara on line esteja funcionando para que mais pessoas possam ouvir o que eu tenho a dizer”, alfinetou Alex.

 

Farpas
Durante o discurso de Alex Tailândia, o presidente da Câmara, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), e o vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), protagonizaram um pequeno ‘stress’ entre eles. É que Zanco concedeu 15 minutos para a fala de Alex, conforme prevê o regimento interno da Casa e Guilherme discordou considerando pequeno o tempo dado para Alex. Os dois ensaiaram um bate-boca que foi contido pelo próprio presidente da Câmara, que fez valer o regimento.

 

Às claras

Na sessão da Câmara da próxima segunda-feira (9), a reestruturação de cargos feita pela Presidência da Casa passará novamente por mudanças, mas, desta vez, com menos polêmicas sem envolver criação de cargos ou aumento nos valores salariais. O projeto de lei complementar visa apenas adequar as funções de cada cargo, tornando-as especificamente claras. Ou seja, qual será de fato a função de cada funcionário da Câmara em seu respectivo cargo.

 

Ruídos

Além de todos os problemas financeiros da Prefeitura, outro dilema está rondando o atual Governo Municipal: a falta de entrosamento entre as Secretarias. Isso porque, alguns vereadores e até mesmo representantes de entidades perceberam e estão falando aos quatro cantos da cidade que um secretário municipal não conversa com o outro sobre um mesmo assunto. Diante disso, a ‘torre de babel’ na administração fica visível. Enquanto um se compromete a fazer tal serviço, o outro diz que o mesmo serviço é inviável e não será feito.

 

 

 

 

Post anterior

Editorial: De novo, o dilema da feira livre

Próximo post

Curtas: carros roubados localizados e briga entre irmãos