Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 8

Tome Nota da edição de sábado, dia 8

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

 Críticas

O presidente da Câmara, Rodrigo Falsetti (PTB), aumentou o tom das críticas ao governo do prefeito Walter Caveanha (PTB). Ele tem apontado os mais diversos problemas, como praças abandonadas, coleta de entulho em atraso, falta de iluminação e falta de médicos. Disse que os vereadores não recebem respostas do Executivo. E criticou os secretários que bloqueiam os vereadores nas redes sociais. “Olha o nível que nós chegamos. Excluir vereador do Facebook, bloquear no WhatsApp. É criança que assumiu a Secretaria?, questionou.

 

Sobrou

E sobrou até para o vice-prefeito Daniel Rossi (PR). Para o presidente da Câmara, o vice-prefeito precisa ser mais atuante. “Se eu sou o vice-prefeito eu dava um tapa na mesa do prefeito e falava que quero ser o secretário de Governo para ajudar a comandar a cidade”, disse durante discurso na Câmara, na última segunda-feira (3). Para Rodrigo, o Executivo precisa mostrar trabalho e não impedir que a Câmara participe das discussões, pois os vereadores têm feito o trabalho deles, que é fiscalizar e cobrar as ações que não estão sendo feitas pelo Poder Público. “Infelizmente, não está havendo parceria do Executivo”.

 

Saia-justa

Sem querer, os vereadores que compõem a base aliada do prefeito na Câmara criaram uma saia-justa para o Governo Municipal. Ao declararem apoio ao ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (MDB), eles deixaram em evidência o político novamente contrariando o que o emedebista quer no momento. Até porque Hélio tem confidenciado a pessoas mais próximas que não tem interesse em voltar a disputar uma eleição. A ideia de lançar o ex-prefeito foi do vereador Thomaz Caveanha (PTB) e aconteceu logo após Rodrigo Falsetti ser citado como um bom nome para 2020.

 

Não vem

E falando em eleição municipal, o prefeito de Mogi Mirim Carlos Nelson Bueno (PSDB) mandou um recado para políticos de Mogi Guaçu durante evento realizado na última quarta-feira (5). O tucano teceu vários elogios para a secretária de Educação, Flávia Rossi, e ressaltou durante discurso que vai terminar seu mandato até dezembro de 2020 como prefeito de Mogi Mirim e ao ver os guaçuanos disparou: “Estamos entendidos?”. O grupo tem assediado Carlos Nelson para que ele volte a disputar o cargo de prefeito em Mogi Guaçu. Por enquanto, eles têm um não.

Post anterior

Paulista e Comercial lideram Cinquentão

Próximo post

Banda Santa Terezinha se apresenta na Faculdade Municipal