Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 4

Tome Nota da edição de sábado, dia 4

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Novo cargo

Humberto Cinquini Neto é o mais novo secretário de Governo da Prefeitura. Ele pediu exoneração do cargo de presidente da Comissão Municipal de Licitações da Prefeitura, mas acabou sendo acomodado no 1º escalão pelo prefeito Walter Caveanha (PTB). Beto Cinquini pediu a exoneração do cargo na CML em março, mas só em abril a exoneração foi publicada. Ele pediu para sair logo após o episódio do atraso na licitação para a compra da carne para a merenda escolar. Apesar do novo cargo, Beto Cinquini continua dando expediente no 6º andar, onde fica a CML. A Secretaria de Governo fica no mesmo andar do prefeito, ou seja, no 4º andar.

 

Governo

Coincidência ou não, o vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), voltou a falar sobre a Secretaria de Governo durante a sessão da última segunda-feira (29). Ele disse que cobrou um relatório das atividades desenvolvidas pela pasta na gestão do então secretário Márcio Antônio Ferreira e não recebeu. Márcio ocupou o cargo durante dois anos e oito meses e continuou também à frente da Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro”. Foi exonerado recentemente e o cargo estava vago desde então. Nem mesmo o nome de Beto Cinquini consta do site da Prefeitura como secretário de Governo.

 

Defesa

O vereador Thomaz Caveanha (PTB) sempre foi avesso a utilizar a tribuna da Câmara Municipal para realizar discursos. Porém, o vereador tem mudado a rotina durante as últimas sessões e tem feito uso da tribuna, principalmente para rebater os colegas da oposição. Thomaz tem saído em defesa da Prefeitura ao lado dos vereadores Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC), e de Luís Zanco Neto (PTC), o Zanco da Farmácia (PSD), formando, assim, um trio de líderes do prefeito, já que até agora nenhum dos edis foi escolhido para assumir a função deixada pelo vereador Jéferson Luís da Silva (PROS), desde o final do ano passado.

 

Servidores

O projeto de autoria do Executivo que reajusta os salários dos servidores será votado na próxima segunda-feira (6) pelos vereadores. O repasse do índice da inflação de 3,94% será feito a partir de maio, mas para pagamento em junho. O projeto deve ser aprovado pela maioria dos vereadores, uma vez que o próprio sindicato da categoria aceitou o que foi proposto pelo prefeito. Mesmo assim, é esperada uma enxurrada de críticas vindas da Câmara devido ao fato de o prefeito não ter feito o pagamento retroativo, já que a data-base da categoria é março. Até uma emenda ao projeto foi feita pelo vereador Fábio Aparecido Luduvirge Fileti (PSDB) lembrando sobre a data-base.

Previous post

Moradora pede limpeza e pretende assumir os cuidados de área

Next post

Dinheiro será usado para pagamento de impostos