Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 27

Tome Nota da edição de sábado, dia 27

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Apoio

Uma comitiva liderada pelo prefeito Walter Caveanha (PTB) foi até a fazenda do ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (MDB), nesta semana. O assunto não poderia ser outro do que a eleição do ano que vem. Os integrantes da comitiva pediram para o ex-prefeito ser o candidato a prefeito do grupo. Até o vice-prefeito Daniel Rossi (PL) integrou a comitiva e ajudou a fazer coro ao pedido. O ex-prefeito não disse nem que sim, nem que não. Talvez, para ganhar tempo, pois ainda teria restrições jurídicas para ser candidato. Ou optou por não falar ‘não’ de cara para manter os ‘amigos’.

 

Hã?

O que causou estranheza foi justamente a presença de Daniel Rossi no grupo. Ele não esconde de ninguém o desejo de ser candidato a prefeito com o apoio irrestrito do prefeito Walter Caveanha. Até suas aparições ao lado do prefeito aumentaram nos últimos meses. Mas a visita ao ex-prefeito para pedir que ele seja candidato nas eleições de 2020 é para dar nó para ninguém, nem mesmo o eleitor, botar defeito. O jeito será aguardar as cenas dos próximos capítulos, pois muita coisa ainda pode mudar até a definição final sobre quem serão os candidatos em 2020.

 

Como fica?

Inclusive, o cenário político poderá mudar até mesmo para o ex-prefeito Paulo Eduardo de Barros, o Dr. Paulinho (MDB). Ele já declarou que irá apoiar o amigo e vice-prefeito Daniel Rossi para o cargo de prefeito nas eleições do ano que vem. Mesmo que para isso tenha que ficar lado a lado com o prefeito Walter Caveanha para quem perdeu a reeleição em 2012. Mas se Hélio Miachon aceitar o convite para ser candidato do grupo e tirar Daniel da jogada, Dr. Paulinho terá que rever seu apoio político ou não.

 

Do outro lado

Enquanto isso, os políticos que se opõem ao atual Governo Municipal tentam se unir e se organizar para disputarem as eleições majoritárias do ao que vem buscando aumentar as chances de vitória. O que a oposição já sabe é que é preciso evitar que tenham três ou quatro candidatos a prefeito. “Precisamos de união. Dividir agora é dar sequência a este governo que está aí. A nossa força só será vitoriosa se estiver alicerçada na união dos grupos”, avaliou um deles.

 

 

Previous post

Inverno: Prevenção ainda é o melhor remédio

Next post

UBS atende em novo endereço a partir de 2ª