Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 23

Tome Nota da edição de sábado, dia 23

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Ruído

A comunicação entre o prefeito Walter Caveanha (PTB) e os vereadores que compõem a base de situação está com ruído. Quase nenhuma informação que é repassada pelos edis durante as sessões da Câmara são, depois, confirmadas pela Administração Municipal. Um dos exemplos é a afirmação do vereador Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), que o prefeito iria usar parte do valor da venda da folha de pagamento dos servidores para custear as obras antienchentes. A informação não foi confirmada pela Secretaria de Comunicação Social que, aliás, confirmou que o valor será usado estritamente para o pagamento do 13º dos servidores.

 

UPA

Outro exemplo é reabertura da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Jardim Santa Marta. O assunto tem rendido uma enxurrada de críticas na Câmara, inclusive entre os vereadores de situação. O vereador Jéferson Luís da Silva (PROS) não tem poupado a equipe da Secretaria de Saúde ao cobrar o retorno da unidade ao prédio de origem. “Infelizmente nesta pauta o que nós temos é um silêncio ensurdecedor”, reclamou em tribuna, enquanto o colega Luís Zanco Neto (PTC) tentou amenizar dizendo que a UPA será reaberta no Jardim Santa Marta, mas sem dar maiores detalhes. E, claro, a informação não foi oficialmente confirmada pela Prefeitura.

 

De perto

O vereador Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP), esteve em Brasília na última quinta-feira (21) para o lançamento do novo partido do presidente Jair Bolsonaro: Aliança pelo Brasil. A nova legenda ainda depende da coleta de assinaturas e de registro no Tribunal Superior Eleitoral, mas já tem a adesão de políticos e de apoiadores. Luciano da Saúde revelou que pode encabeçar um movimento para trazer o partido para Mogi Guaçu. Ele confirmou que pretende disputar a reeleição pelo PP no próximo ano, mas não esconde que o novo partido ‘enche os olhos’. “Defendemos as mesmas bandeiras”, comentou ao ressaltar que a viagem foi custeada com recursos próprios.

 

Casa cheia

A sessão da Câmara da última segunda-feira (18) estava com a galeria lotada. Isso porque, estudantes e professores do Sesi foram acompanhar a votação do projeto de autoria do vereador Jéferson Luís da Silva (PROS), que inclui no calendário de eventos do município a Semana Municipal de Valorização do Patrimônio Histórico e Cultural de Mogi Guaçu. A lei foi criada após conversas entre o vereadores e os estudantes, que encontraram dificuldades em identificar material histórico do município para um trabalho.

Previous post

Bandeirantes e LM Monitoramento garantem vaga na semifinal

Next post

Editorial: Estudo interminável