Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 17

Tome Nota da edição de sábado, dia 17

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Guaçuana

A iniciativa do vereador Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP), de conceder o título de cidadão guaçuano à ministra Damares Regina Alves causou repercussão e até um manifesto de repúdio nas redes sociais. A professora Alexandra Fernandes Azevedo criou uma petição on line para a coleta de assinaturas em repúdio ao projeto de decreto legislativo 24/2019 que concede o título de cidadã guaçuana à ministra. Até ontem (16), mais de 800 pessoas tinham assinado a petição. No texto de abertura a professora cita o repúdio “pelo retrocesso que essa ministra vem impondo ao nosso país”.

 

Ataques

Em resposta, o vereador Luciano até chegou a criar uma petição on line favorável a concessão do título para a ministra Damares e disse que recebeu apoio à iniciativa. O vereador comentou que o repúdio e as manifestações nas redes sociais são uma discriminação. “Em maio, a Câmara realizou uma homenagem na qual 11 mulheres da cidade foram homenageadas. Agora, só vi muita discriminação contra a ministra e isso precisa ser combatido”, ressaltou ao afirmar que ficou surpreso com a reação logo após a concessão do título ser aprovada.

 

Respostas

As reclamações sobre a falta de respostas aos requerimentos dos vereadores são constantes na tribuna da Câmara. Eles dizem que a equipe do prefeito Walter Caveanha (PTB) não respeita os prazos e quando as respostas chegam elas são evasivas e incompletas. Se não bastassem as reclamações, o gabinete do prefeito tem pedido a prorrogação do prazo para os requerimentos e a situação tem incomodado os vereadores, principalmente os da oposição. “Eles tiveram 50 dias para responder e ainda pedem mais prazo. É um total descaso”, comentou o vereador Fábio Aparecido Luduvirge Fileti (PSDB).

 

Silêncio

Após a aprovação de dois projetos que autorizam o município a emprestar R$ 13 milhões de reais do Banco do Brasil, a Prefeitura divulgou apenas um release informando sobre a votação na Câmara. Mas não informou ainda quais são os próximos passos e se há uma previsão para que os processos licitatórios sejam iniciados. Os vereadores já elencaram duas prioridades e disseram que irão cobrar o Executivo: a pavimentação da Chácaras Alvorada e as obras antienchentes do Jardim Santa Terezinha.

Previous post

Balizador da BMY conquista o 1º lugar no V Confaban

Next post

Informalidade: Sucesso sem carteira assinada