Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, dia 16

Tome Nota da edição de sábado, dia 16

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Sem interesse

O vereador Luiz Carlos Nogueira, o Carlos Kapa (PSD) não esconde que seu interesse é a causa animal. Por várias vezes, ele deixou claro que foi eleito para trabalhar em prol dos animais. Mesmo assim, não tem como não observar a apatia do vereador quando outros assuntos são destaques durante as sessões da Câmara. Na última segunda-feira (11), por exemplo, ele foi o único vereador que não fez pergunta para a secretária de Educação, Célia Mamede. Ela respondeu as perguntas feitas pelos vereadores, principalmente as referentes aos problemas da merenda escolar.

 

Desmentiu

Ao ser questionada se havia assumido a responsabilidade pelo atraso da licitação para a compra de carnes, a secretária de Educação foi enfática em responder um sonoro não. Com essa resposta criou-se uma saia-justa com o vereador Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC). Foi ele quem usou a tribuna da Câmara para afirmar que Célia havia assumido o erro durante reunião com o prefeito Walter Caveanha (PTB) e vereadores. Apesar da negativa da secretária, os vereadores afirmaram que não estavam convencidos de que não houve erros na condução do processo licitatório que causou um desabastecimento nas escolas.

 

Plateia

Além de um grupo de pais, diversos comissionados e a maioria dos secretários municipais estiveram na Câmara, na última segunda-feira (11). A tática de tentar ocupar as cadeiras da galeria não surtiu o efeito esperado, mas não deixou de ser um apoio para Célia Mamede. Até o vice-prefeito Daniel Rossi (PR) fez questão de acompanhar da galeria a sabatina de mais de três horas. Ele, como ex-vereador, poderia ter assistido o embate entre vereadores e secretária do plenário. Somente o diretor do Cegep, Ivens Chiarelli, entrou no plenário e lembrou-se do tempo em que ocupava uma daquelas cadeiras.

 

Novos tempos

A imprensa foi autorizada a voltar a acompanhar as sessões da Câmara de dentro do plenário. Ali, uma mesa e cadeiras foram reservadas aos jornalistas e fotógrafos que acompanham as sessões. O local para o trabalho da imprensa foi alterado pelo ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Carlos Donizete da Costa, o Carlinhos da Imobiliária (PSC), que sempre criticou o trabalho da imprensa. Ele chegou a criar uma espécie de cabine na galeria da Câmara, o que dificultava o trabalho dos profissionais. O presidente do Legislativo, Rodrigo Falsetti (PTB), autorizou a mudança e a ‘boa e velha mesa’ da imprensa foi colocada onde nunca devia ter saído.

Post anterior

Transporte escolar e estrutura dos prédios são discutidos

Próximo post

Corug participa de provas em Campinas e Estiva Gerbi