Home»Opinião»Tome Nota da edição de sábado, 1º de junho

Tome Nota da edição de sábado, 1º de junho

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

 Mogi de luto

O vereador mogimiriano Luiz Roberto de Souza Leite, o Chupeta (PSDB), faleceu na última terça-feira (28), no Hospital 22 de Outubro após complicações no pâncreas. Por conta dos problemas de saúde, o vereador estava afastado de suas funções desde o início de maio, mas já vinha se ausentado de algumas sessões. Ele cumpria seu primeiro mandato como vereador após ser eleito com 564 votos. A vaga de Chupeta foi preenchida por Fábio Mota, após desistência de Marquinhos Dias. Fábio passou a reforçar a base aliada do prefeito Carlos Nelson na Câmara.

 

Prioridades

Enquanto a população de Mogi Guaçu tem cobrado pelo retorno da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no prédio do Jardim Santa Marta, a construção de um Hospital Municipal na cidade vizinha tem causado polêmica. E na próxima segunda-feira (3), o projeto de construção da unidade será analisado pelos vereadores e tudo indica que o Executivo terá dificuldades em aprová-lo. Os vereadores de Mogi Mirim têm torcido o nariz para o projeto do Executivo e podem ser responsabilizados, no futuro, por ter impedido que um importante investimento fosse iniciado.

 

Vapt-Vupt

A sessão da Câmara de Mogi Guaçu foi tão rápida na segunda-feira (27) que nem deu tempo dos vereadores esquentarem as cadeiras. Foi a primeira sessão vapt-vupt do ano. Apenas o vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), usou a tribuna para discursar. Ele falou sobre o caso das crianças que supostamente teriam sido dopadas na creche municipal e também cobrou a falta de coleta de lixo no Jardim Itamaraty. Nenhum ‘piu’ dos outros 10 vereadores sobre esses ou qualquer outro assunto que merecesse cobrança ou algum tipo de posicionamento.

 

Orelha arde

O vereador Thomaz Caveanha (PTB) tem ouvido atentamente os discursos de seus colegas na Câmara. A maioria é referente a comentários nada agradáveis à Administração Municipal. O vereador, que já utilizou a tribuna para defender o pai, tem saído pouco do plenário para poder acompanhar o que dizem os colegas. Algumas vezes balança a cabeça em sinal de reprovação e outras somente ouve. Ele tem contado com a ajuda do vereador Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP), que tem respondido algumas questões levantadas na Câmara. Luciano recebe algumas respostas pelo WhatsApp.

Post anterior

Nova diretoria do Conseg toma posse na Câmara

Próximo post

Estética: do prazer em embelezar à profissionalização