Home»Caderno Multi»Terapia: melhor caminho para vencer traumas

Terapia: melhor caminho para vencer traumas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Questionamentos, quem é que não os tem? É impossível existir algum ser humano na face da terra que não faça, pelo menos, um questionamento sobre a própria existência.

“Por que não me sinto amada? Bonita? Por que não dou certo no trabalho? Em relacionamentos? Por que grito tanto? Por que me corto? Por que tenho tantas manias? Não aguento mais tanta tristeza!”

Na maioria dos casos, questões como estas ficam guardadas no íntimo da pessoa e, se elas não forem bem resolvidas, podem gerar outros problemas como, por exemplo, ansiedade, pânico e depressão. Por isso, a psicoterapia é um bom caminho para vencer os traumas e conseguir respostas para questões como essas. A psicoterapia visa tratar doenças que nos afetam emocionalmente e proporcionar o autoconhecimento.

A psicóloga Ana Lúcia da Costa Rafael trabalha há 30 anos com psicoterapia e explicou que quem se conhece bem consegue compreender e transpor suas dificuldades e, com isso ser mais feliz independentemente das circunstâncias. “A terapia ajuda a pessoa a se conhecer e consequentemente a se responsabilizar pela própria vida e se tornar mais resiliente. Isso significa que é possível enfrentar os problemas com maior assertividade, sem colocar a culpa em terceiros ou no passado, evitando dificuldades em seus relacionamentos e em sua vida”. 

SALVANDO AS EMOÇÕES
“Todo mundo tem problemas”, sentencia Ana Lúcia

Buscar pela terapia como forma de encontrar soluções para problemas emocionais é uma atitude que está começando a ser compreendida pelas pessoas com mais facilidade do que era antigamente.

Ana Lúcia
Ana Lúcia

A profissional Ana Lúcia falou que são vários os benefícios da terapia. Um deles diz respeito à atitude do paciente. Segundo ela, quando uma pessoa toma as rédeas de sua vida ela escolhe abandonar uma condição de reclamação para partir para uma condição de ação. “A nossa sociedade valoriza muito o sofrimento e as pessoas pensam que sofrer é natural. A terapia ajuda o paciente a sair desse papel de vítima e se tornar protagonista de uma condição mais satisfatória e até mesmo mais saudável e de acordo com seus valores e desejos”.

É comum as pessoas encontrarem dificuldades de administrar suas emoções, uma vez que acreditam que só vão ser felizes quando não tiverem mais problemas. “Isso é uma grande ilusão, porque dificuldades fazem parte da vida. O que eu posso fazer para mudar essa situação de maneira que minha vida seja melhor para mim mesma e para quem está a minha volta? A felicidade é uma escolha, porém para podermos escolher temos que estar aptos”, ressaltou a psicóloga.

Ana Lúcia relatou que antigamente existia muito preconceito com relação à terapia, pensavam que era coisa somente para ‘loucos’. “Ainda existe esse preconceito, mas a porcentagem é bem menor em relação ao passado”. O que também melhorou na sociedade atual é a questão do preço. “Tem muitos convênios que oferecem a psicoterapia e a rede pública também disponibiliza o serviço. O número de psicólogos é maior, por isso, está bem mais acessível”, pontuou Ana.

A psicóloga citou alguns benefícios da terapia. “Aceitação, amor próprio, aumento da autoestima, aumento da resiliência, saúde mental, tolerância, auto perdão, relacionamentos equilibrados, aumento do diálogo, autoconhecimento e tratamento de transtornos e doenças como síndrome do pânico, depressão, ansiedade, TOC, TDAH entre outros”.

Para finalizar, Ana Lúcia deixou uma orientação. “Muitas vezes, escolhemos um amigo para conversar e isso é muito bom, mas é necessário distinguir em qual momento é necessário procurar a ajuda de um profissional, sem vergonha de ter problemas ou dificuldades”.

multi ana lucia psicologa

PRÁTICA CONSTANTE

Juliana e o marido Luciano se renderam aos benefícios da terapia

 Juliana Aparecida de Assis Rigon e Luciano Rigon são casados há 11 anos e há dois anos e meio o casal faz terapia juntos. A jovem contou que decidiu buscar ajuda por conta de conflitos internos. “As minhas questões estavam prejudicando a minha forma de enxergar, de encarar a vida, danificando meus relacionamentos, principalmente com as pessoas que eu mais amava”.

Tanto que ela lembrou que chegou a um estado crítico. “Chegou um ponto que eu tinha tudo a perder, eu não sabia gerir, administrar a forma de pensar. Até que isso somatizou no meu corpo, porque tudo aquilo que eu não consigo administrar no meu interior, na minha alma, que é o nosso psique, mais cedo ou mais tarde acaba se expressando em nosso físico”.

Juliana e Luciano
Juliana e Luciano

A intenção inicial do casal era a de fazer a terapia juntos, mas, no início, o profissional tratou cada um de forma individual para depois juntá-los na terapia, que Juliana considera libertadora. “Hoje eu sou uma pessoa mais conhecedora de mim mesma, mais centrada. A busca desse autoconhecimento é contínua e se pararmos corremos o risco de regredir. Para mim, é uma prática constante porque não existe uma pessoa 100% resolvida e equilibrada, neste mundo”, ressaltou a jovem.

Por isso, ela disse que entende que nos dias de hoje todos precisam de terapia. “A natureza do homem é uma natureza rebaixada com pensamentos conflituosos, ansiosos e, por vezes, depressivos. Tudo está na mente, tudo que fazemos é fruto do que pensamos”, afirmou Juliana.

Ela finalizou dizendo que as pessoas não devem se preocupar se vão ficar ou não dependentes de uma terapia. “Sempre buscamos uma âncora na vida. Então, que essa âncora seja aquilo que nos faça bem. Por isso, eu recomendo, sim, a terapia para todo tipo de pessoa. Algo que costumo aprender nas minhas sessões é que é totalmente necessário renovar nossa mente com pensamentos novos que, certamente, trarão uma grande transformação em todas as esferas da nossa vida”, concluiu Juliana.

 

Veja oito sinais de que você precisa buscar por ajuda na terapia:

 

  • Você tem dores de cabeça inexplicáveis e recorrentes, dores de estômago ou um sistema imunológico abalado;

 

  • Você já sofreu um trauma e não consegue parar de pensar nisso;

 

  • Tudo o que você sente é intenso!

 

  • Você está usando uma substância para lidar com tantas emoções;

 

  • Você está recebendo um feedback mau no trabalho;

 

  • Você se sente desconectado de atividades previamente amadas;

 

  • Seus relacionamentos são tensos!

 

  • Seus amigos lhe disseram que estão preocupados com você!
Post anterior

“A Santa Casa não tem partido”, dizem representantes

Próximo post

Sensei Antônio participa de troca de faixas em Itapira