Home»Em Destaque»Solenidade de Passagem de Comando

Solenidade de Passagem de Comando

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Por Tenente Cel. PM Denilson Natal Colombo

No último dia 17 de janeiro foi um dia muito especial na minha vida profissional: realizar a solenidade de passagem de Comando do 26º Batalhão de Policiamento do Interior nesta querida cidade de Mogi Guaçu. Faltava a apresentação do novo comandante do batalhão à comunidade, já que desde o dia 7 de setembro de 2017, fui nomeado comandante por conta da minha promoção ao posto de Ten Cel PM.
Ser designado comandante de Batalhão era um sonho desde os primeiros dias na Academia de Polícia Militar do Barro Branco em São Paulo. Estou ciente dos desafios que irei enfrentar. Sei que será uma árdua tarefa comandar uma equipe com mais de 400 policiais militares, com 135 viaturas, que atuam numa região composta por 8 municípios, com 10 instalações da Polícia Militar.
Os números de nossa produtividade demonstram a importância da nossa instituição, onde só em 2017, foram atendidas mais de 9.000 ocorrências, realizadas mais de 73.000 abordagens a pessoas suspeitas, apreendidas quase 70 armas de fogo, mais de 800 pessoas presas em flagrante, apreendidos aproximadamente 263 quilos de substância entorpecente.
Reforço que Polícia Militar e comunidade devam estar do mesmo lado. O sentido da existência da polícia é servir e proteger a Comunidade. Neste dia reforcei os meus compromissos para com os meus colaboradores, para com a comunidade e para com as autoridades constituídas de toda a região.
Consciente dos grandes desafios que tenho pela frente, elegi três vertentes que se alinham aos objetivos de comando, com a missão e com a visão de futuro da Instituição.
A primeira vertente será a sedimentação da Filosofia Comunitária, com foco no trabalho em comum entre a polícia e a comunidade. Sem nenhuma dúvida, a proteção às pessoas deve ser a missão prioritária e para protegê-las é de fundamental importância que a polícia esteja próxima e se relacione com naturalidade com a população a que serve.
A segunda vertente é a Priorização da Atividade Operacional. O policiamento ostensivo é a atividade fim da Polícia Militar, que desencadeia o que chamamos de “sensação de segurança”. A atividade operacional deve ser considerada com o máximo grau de importância que merece, a começar pelo reconhecimento e valorização dos homens e mulheres que são os protagonistas na realização das funções operacionais.
Finalmente, a última é a excelência em todas as ações: vivemos na Era da Gestão pela Qualidade. A necessidade do melhor atendimento para nosso cliente, sendo ele interno (um policial militar) ou externo (a comunidade) é algo que se deve buscar sempre.
Considero que a solenidade foi um marco histórico para Mogi Guaçu, pois conforme asseverou nosso excelentíssimo chefe do Executivo, o local escolhido para o evento é um lugar histórico da cidade e foi a primeira vez que se realiza uma passagem de comando junto da comunidade. Obrigado a todos que prestigiaram e organizaram o evento.

Denilson Natal Colombo Ten Cel PM Colombo, Cmt do 26º BPM/I, Mestrado em Ciências Policiais de Segurança e de Ordem Pública

Previous post

Nico Lanzi: via terá troca de solo, mas duplicação é adiada

Next post

70 anos: Cerâmica Clube em festa!