Home»Política»Sindiçu marca assembleia para votação de proposta

Sindiçu marca assembleia para votação de proposta

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Após procurar pelos vereadores para pedir apoio, o presidente do Sindiçu (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Região), Valdimiro Sutério, o Miro, agendou assembleia para esta quinta-feira (4). A primeira chamada está marcada para as 18h30 e a segunda para as 19h00, na sede do sindicato.

Miro irá apresentar a proposta da Prefeitura do repasse do índice da inflação em maio, mas para pagamento em junho sem ser retroativo. Essa proposta havia sido comentada pelos vereadores na segunda-feira (1º), quando uma comissão de servidores e do sindicato esteve na Câmara.

Inicialmente, uma reunião seria agendada entre a equipe econômica da Prefeitura e sindicato com a intermediação do Legislativo. Mas houve mudanças no plano. “Fui falar com o Roberto (Simoni) sobre essa proposta que os vereadores comentaram e ele confirmou que haveria a possibilidade de repassar o reajuste em uma única vez, mas só para pagamento em junho. Então, decidimos levar essa proposta para o funcionalismo”, comentou Miro.

Na segunda-feira, um pequeno grupo de servidores atendeu ao chamado do Sindiçu e compareceu na Câmara Municipal, a fim de discutir sobre o reajuste salarial da categoria.  Com um caminhão de som, o presidente do Sindiçu explicou aos servidores a proposta do prefeito e falou sobre o receio da categoria ficar novamente sem reajuste. Ele afirmou ser contrário ao parcelamento do índice da inflação, proposto pela Administração Municipal. “Nós não vamos aceitar o parcelamento do índice da inflação. Temos que conquistar o reajuste esse ano, pois ano que vem é ano eleitoral e ele (prefeito) fica impedido de dar aumento por causa da lei eleitoral”, ressaltou Miro ao lembrar que a Prefeitura queria fazer o repasse de 2% a partir de março, data base da categoria, e os outros 1,94% em setembro. O Sindiçu pediu 11% de reajuste.

O presidente do Sindiçu explicou que a equipe do prefeito, liderada pelo secretário da Fazenda, Roberto Simoni, tem sido irredutível e não quer nem discutir as demais cláusulas da proposta salarial encaminhada no dia 18 de fevereiro para a Prefeitura. “As coisas mudam de um ano para outro e eles não querem nem discutir. Só falam isso não. Além do reajuste, estamos travados com a pauta”, comentou ao citar que os itens mais importantes seriam o pagamento das horas extras e o banco de horas. “O banco de horas já está sendo discutido no Ministério Público e as horas extras são pagas o que eles querem”.

sessao de camara servidores municipal

Proposta prefeito

Os vereadores da base, entre eles Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC), e Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), disseram que o prefeito falou com um grupo de vereadores antes da reunião com os servidores. Para eles, o prefeito disse que trabalha com duas propostas: uma o repasse do índice da inflação em maio, mas para pagamento em junho (sem ser retroativo) e a outra do parcelamento do índice, sendo março e setembro. Na ocasião, o presidente do Sindiçu rebateu e disse que só recebeu uma proposta da equipe econômica da Prefeitura. “O Roberto (Simoni) não falou sobre essa outra proposta , somente a do parcelamento”.

Após essa discussão, Miro confirmou a proposta com o secretário da Fazenda e optou por agendar a assembleia. “Quem decide é o servidor e o importante é não ficarmos sem reajuste”.

A Prefeitura, via assessoria de imprensa, não confirma oficialmente qual proposta apresentou ao Sindiçu.

Post anterior

Giovani Lanzi: Após uma semana, alunos retornam às aulas

Próximo post

Recapeamento da Rua Hugo Panciera está na etapa final