Home»Cidade»Sindicato providencia documentos para regularização de feira

Sindicato providencia documentos para regularização de feira

Feira Gastronômica do Trabalhador tem sido realizada toda terça-feira, no Clube de Campo dos Metalúrgicos

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O Sindicato dos Metalúrgicos de Mogi Guaçu está providenciando a regularização da Feira Gastronômica do Trabalhador que acontece nas noites de terça-feira no Clube de Campo dos Metalúrgicos, à Avenida Brasil. Para isso, já está atendendo aos pedidos da Prefeitura para a licença de funcionamento, são eles: laudo AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), alvará e o croqui da área em que acontece a feira.

Com objetivo de realização todas as às terças-feiras, das 19 às 23 horas, a Feira Gastronômica do Trabalhador conta com 43 feirantes e, segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Marçal Georges Damião, a instituição loca o espaço para o evento, como forma de fortalecer o caixa depois da queda na arrecadação do sindicato. “Politicamente importante porque a estrutura sindical de todos os segmentos está sem condições de sobrevivência. É uma forma de melhorar a receita para que possa continuar fazendo cada vez mais este tipo de evento”, justifica.

Antes de locar o espaço para a feira, o sindicalista disse que já estava regularizando até mesmo o Clube de Campo com vista à realização de outros eventos. Quanto à feira, ele disse que a ideia foi amadurecida junto com alguns feirantes, decidiram fazer a primeira edição e com o sucesso da iniciativa a proposta ganhou forma. A feira noturna teve quatro edições. Apesar de acontecer na área de estacionamento, o Clube de Campo disponibiliza um dos salões sociais, onde são montadas mesas, bem como o acesso aos sanitários, contando com funcionários para mantê-los em ordem. Marçal frisa que existe um contrato de locação do local para este organizador, mas não adiantou o valor. Informou que a arrecadação será suficiente para pagar ao menos quase a metade da conta de energia elétrica do Clube de Campo que é de aproximadamente R$ 10 mil mensais.

Caso a feira cresça, não está descartada a realização na área interna do Clube de Campo. Por enquanto, um terreno ao lado do evento, é usado para o estacionamento de veículos.

 

AVENIDA BRASIL

Marçal pretende ir à Prefeitura para conhecer o projeto de duplicação da Avenida Brasil. Isto porque, o Clube de Campo fica às margens da via e ele quer verificar como ficará o acesso ao local. O sindicalista garante que o espaço em que realiza a feira é do Sindicato dos Metalúrgicos e que a segunda pista da avenida deverá margear a área.

Previous post

Três corredores da Corug sobem ao pódio em Araras

Next post

Feira noturna é sugerida para Martinho Prado e Chácaras Alvorada