Home»Política»Secretária de Saúde vai à sessão na 2ª feira

Secretária de Saúde vai à sessão na 2ª feira

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Perto do fim do prazo dado pela Câmara Municipal, a secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, irá comparecer à sessão da Casa, na próxima segunda-feira (16), a partir das 19 horas. Com isso, ela atende ao requerimento de convocação de autoria do vereador Rodrigo Falsetti (PTB) e aprovado pelos vereadores. O prazo para que Clara comparecesse à Câmara terminaria no próximo dia 22.

Durante sua presença na Casa de Leis, a secretária de Saúde irá respoder perguntas sobre maus-tratos e castração de animais, pagamento de horas extras, vôlei adaptado, ações voltadas para a Terceira Idade, distribuição de medicamentos na rede pública de saúde, agendamento de consultas nas unidades de saúde, divulgação dos plantonistas nas unidades de saúde, transportes de pacientes dentro e fora da cidade, demandas para a realização de exames de ultrassom, de cirurgias de catarata e outras de pequena e média complexidade e também sobre o gerenciamento de banco de leite do município.

No mês passado, durante uma das sessões da Câmara, os vereadores aprovaram o requerimento que convocou a secretária de Saúde. Dos 11, sete vereadores assinaram favoráveis, sendo eles: Fábio Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB); Rodrigo Falsetti (PTB), Luís Carlos Nogueira, o Carlos Kapa (PSD); Natalino Tony Silva (Rede Sustentabilidade), Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC); Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD); e o presidente da Câmara, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC).

Já há alguns meses, os vereadores vêm questionando os serviços prestados à população pela Secretaria Municipal de Saúde: transportes de pacientes para outras cidades, falta de medicamentos básicos nas UBS’s (Unidades Básicas de Saúde) e demora na marcação de consultas, são alguns dos deficits considerados pela maioria dos vereadores. Além disso, embora a economia prevista na área da Saúde – para este ano – seja uma cifra considerável de R$ 8 milhões, os vereadores querem garantir que não irão aumentar as deficiências no atendimento à população, já que consideram que há muitas falhas no setor.

Post anterior

Curtas: Vendedor dorme em praça e tem pertences furtados

Próximo post

Base aliada impede votação sobre loteamentos