Home»Caderno Multi»Rio Mogi Guaçu: tranquilidade, paisagem e pôr do sol

Rio Mogi Guaçu: tranquilidade, paisagem e pôr do sol

Marli e Airton mantém rancho há 40 anos

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A rotina do dia a dia tem feito com que a maioria das pessoas não consiga aproveitar as paisagens existentes. Mesmo na área urbana, ainda é possível encontrar alguns pontos exuberantes e o Rio Mogi Guaçu é responsável por cenários de tirar o fôlego ainda mais se o pôr do sol der aquele espetáculo. Esse é o cenário dos fundos do rancho do casal Marli Mantovani da Silva Almeida,73, e Airton Correa de Almeida, 78. O rancho fica localizado na região do bairro Nova Mogi Guaçu. À época, a área fazia parte da Fazenda Santana, e foi comprada pelo pai de Marli, Nelson da Silva Albino. Alguém se lembrou desse nome? Ele foi presidente da Câmara em 1963 e chegou a ser empossado como prefeito em 7 de outubro do mesmo ano. Mas essa é uma história para outro especial.

A paixão pelo Rio Mogi Guaçu é de família e Marli conta que o pai sempre gostou e, por isso, comprou o rancho em 1977. “Meu pai era festeiro e adorava dar festas. Fizemos várias festas e eventos aqui, sempre com familiares e amigos. É um lugar maravilhoso e essa paisagem linda”, recordou-se a filha do senhor Nelson.

Festa de 80 anos do pai de Marli
Festa de 80 anos do pai de Marli

Marli casou-se com Airton e eles tiveram três filhos e não é que o gosto pelo lugar passou de geração para geração. O casal conta que os filhos- Airton, Ricardo e Daniel- adoravam brincar no rio e o rancho sempre esteve cheio de amigos. “Toda sexta-feira vínhamos para cá depois que eu saía do trabalho, quando meu sogro comprou aqui, e as crianças ficavam esperando. Meu compadre vinha pescar e pegava dourado. As crianças andavam de bote”, lembrou o aposentado.

As lembranças vão surgindo à medida que o casal vai contando as histórias da família e do rancho. As brincadeiras das crianças, as festas, as visitas de amigos e familiares que estarão sempre na memória afetiva. A fartura de peixes no rio foi lembrada por Marli. “Quando eu era adolescente nós íamos comer peixe na cachoeira e chegando lá eles pegavam o peixe fresquinho. Meu tio e sua família vinham de Mogi Mirim toda sexta-feira e a gente comia peixe do Rio Mogi Guaçu. Era um evento”, contou Marli ao lembrar que a mãe Diva Mantovani da Silva aprendeu a fazer peixes para a alegria da família.

Eles contam que desde jovens acompanhavam a visita de amigos e familiares que vinham conhecer o Rio Mogi Guaçu e saborear os peixes. “O Guaçu era conhecido pelo rio, pelos peixes e pelas famosas peixadas. Até hoje vem gente de fora, mas naquele tempo era diferente”, contou Marli.

O trecho do Rio Mogi Guaçu que faz fundo para o rancho chama a atenção pela preservação do rio e das árvores ali existentes. Marli contou que o pôr do sol é de tirar o fôlego. “O verde e as árvores que a gente enxerga daqui são muito preservados. Somos privilegiados com essa paisagem e o pôr do sol aqui é muito bonito”, revelou Marli. O casal acabou comprando o rancho da família e ele é até hoje utilizado para o lazer. Mais uma geração já visita o local: os três netos. “O rancho tem muita história de lazer e de festa e sempre com essa paisagem do Rio Mogi Guaçu. Foi uma época muito boa”, ressaltou Marli.

Para as futuras gerações, o casal espera que o Rio Mogi Guaçu seja melhor preservado e que as crianças possam conhecer as tantas histórias que são contadas tanto de Mogi Guaçu quanto do seu rio.

multi aniversario cidade

Post anterior

Pescador relata amor e preocupação com o rio

Próximo post

ExpoGuaçu: Chuva derruba cobertura do camarote e show deste sábado é cancelado - Veja Vídeo