Home»Cidade»Reforma de laboratórios é orçada em R$ 350 mil

Reforma de laboratórios é orçada em R$ 350 mil

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Serão conhecidas no próximo dia 19, as propostas das empresas interessadas em assumir a reforma dos laboratórios da FMPFM (Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro”). Localizados nos blocos B e C, os laboratórios passarão por adequações para a oferta do curso de Medicina, cujo vestibular é previsto ainda para agosto. A reforma dos laboratórios foi orçada em quase R$ 350 mil.

Para obter os valores estimados são pesquisados órgãos oficiais como Sinapi (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção), que estabelece regras e critérios para elaboração do orçamento de referência de obras e serviços de engenharia, contratados e executados com recursos dos orçamentos da União. Para obtenção de referência de custo tem-se por base a Cia Paulista de Obras e Serviços. Com isto, o valor estimado da contratação é de R$ 349.945,20.

Márcio
Márcio

O diretor da “Franco Montoro”, Márcio Antônio Ferreira já havia adiantado à Gazeta sobre  necessidade de adequações na Faculdade Municipal para receber o curso de Medicina. O vestibular será realizado pela Fundação Vunesp (Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista). Já foram iniciados os contatos com a Vunesp e a meta é formalizar a solicitação em abril com a expectativa de que tudo esteja definido até maio ou junho.

Os dois laboratórios são o morfofuncional (anatomia) e o de habilidades médicas. Este último contará com 10 pequenos consultórios voltados para ginecologia, pediatria e clínica geral. Uma biblioteca também foi construída. O prédio também contará com nova cantina.

 

MENSALIDADE

O curso de Medicina será iniciado com 60 vagas. Os alunos pagarão mensalidades de R$ 6 mil a R$ 8 mil e poderão ter descontos. Como nos demais cursos de graduação, a “Franco Montoro” concederá desconto de 20% por pontualidade no pagamento. Inicialmente não será implementado o FIES (Programa de Financiamento Estudantil), que financia 60% do valor, enquanto a instituição de ensino concede desconto de 40%. A previsão é de que, em seis anos, serão 360 os alunos de Medicina, o que reverterá uma receita de R$ 2,5 milhões por mês só com o novo curso. Esse resultado permitirá cobrir todos os custos e investir na ampliação da infraestrutura do campus da Cachoeira de Cima.

O atual orçamento anual custeia a folha de pagamento, de aproximadamente R$ 240 mil, e cerca de R$ 50 mil de aluguel do imóvel das clínicas de Nutrição e Psicologia. Em razão da implantação do curso de Medicina, o corpo docente da “Franco Montoro” será ampliado de 70 para 120 professores.

Post anterior

Tome Nota da edição de sábado, dia 10

Próximo post

Equipe do Vôlei Adaptado não tem resposta definitiva