Home»Política»Reajuste: PT guaçuano repudia decisão do Governo Municipal

Reajuste: PT guaçuano repudia decisão do Governo Municipal

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O PT de Mogi Guaçu se pronunciou por meio de nota sobre a intenção do Governo Municipal não conceder nenhum índice de reajuste salarial aos servidores públicos municipais. Nem mesmo o repasse da inflação, por enquanto. O PT guaçuano repudiou a postura da Administração e engrossou o coro para que a categoria se manifeste na Câmara Municipal nesta segunda-feira (23), durante a sessão legislativa. “O PT de Mogi Guaçu vem por meio desta nota manifestar repúdio a atual política municipal que visa negar aos servidores públicos o reajuste salarial. Por meio de uma reforma, almejam retirar direitos dos funcionários públicos, prejudicando os servidores. Por isso, convidamos a todos para que compareceram no dia 23 de abril, às 19 horas, em frente à Câmara Municipal”.

O presidente do PT de Mogi Guaçu, Alceu Kemp, o Galo, preferiu não comentar o assunto, por enquanto, até que os vereadores também se manifestem.

Na semana passada, a Administração Municipal afirmou que não irá conceder nenhum reajuste salarial para os servidores municipais, nem mesmo a reposição da inflação que gira em quase 2%. A justificativa é que o processo judicial que prevê a incorporação do abono de R$ 100 ao salário da categoria ainda não terminou e o Governo Municipal quer aguardar essa decisão judicial para então discutir o reajuste salarial da categoria. A Prefeitura também cogitou retirar dos servidores alguns direitos trabalhistas que já estão garantidos pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), por leis municipais e também pelo acordo coletivo.

Servidores Municipais vão à sessão da Câmara, desta segunda-feira
Servidores Municipais vão à sessão da Câmara, desta segunda-feira

Um deles é o pagamento das horas extras. Atualmente, elas são pagas no limite de até 20 horas extras trabalhadas. Mas a Prefeitura quer alterar esse modo de pagamento. Um exemplo é o servidor municipal que trabalha à noite, no esquema 12/36 horas, e já recebe o adicional noturno. A proposta do Governo Municipal é pagar o benefício até às 5 horas manhã, a partir deste horário o servidor que prosseguir trabalhando até às 7 horas da manhã, por exemplo, não receberia o pagamento da hora extra por estas duas horas a mais trabalhadas.

Para tentar reverter essa situação, os servidores públicos municipais vão comparecer na noite desta segunda-feira (23) na Câmara Municipal na tentativa de pressionar os vereadores. O objetivo é fazer com que eles façam a mediação com o Governo Municipal para que o corte de alguns direitos trabalhistas não aconteça e que, pelo menos, seja concedido a reposição da inflação no reajuste salarial da categoria. O PT guaçuano também estará presente fortalecendo a defesa dos direitos trabalhistas dos servidores municipais. A sessão da Câmara Municipal tem início às 19 horas.

 

 

Post anterior

Começa a campanha de vacinação contra gripe

Próximo post

“Mais Alfabetização” seleciona estudantes de pedagogia