Home»Caderno Multi»Queijo: Cada vez mais presente na mesa do brasileiro

Queijo: Cada vez mais presente na mesa do brasileiro

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O queijo combina com goiaba e com o doce de leite, faz composição perfeita em pratos salgados e, com isto, vai ganhando lugar à mesa do brasileiro. Não é à toa que a Abiq (Associação Brasileira da Indústria de Queijos) prevê um aumento de produção de 2,5%. No ano passado, a produção de queijos superou um milhão de toneladas no país que tem 2 mil laticínios.

O consumo de queijos no Brasil é de 5,5 quilos por habitante ao ano, ainda pouco se comparado com a Argentina, onde a média é de 11,5 quilos por habitante ao ano. A meta da Abiq é, até 2020, chegar a um consumo de 7,5 quilos per capita. Para 2030, o objetivo é atingir a marca de 9,6 quilos de queijo por habitante/ano.

E quem vende queijo é prova real de que o brasileiro gosta mesmo de um queijinho e, aliás, de todos os tipos. Do queijo branco aos temperados todos têm espaço no cardápio. E, claro, que, vende queijo vê o faturamento crescer com este apetite do brasileiro.

MAIS SABOR

Queijo agregou valor às vendas de Maurício Lelis

Ainda na adolescência, aos 12 anos, Maurício José Bendassoli Lelis, 32 anos, começou a vender os canudinhos recheados com doce de leite feitos pela mãe. Era a forma que tinha de ajudar a família. E acabou descobrindo que nasceu para ser vendedor. Tanto que tentou exercer outra profissão, a de motoboy. Desistiu da tarefa no primeiro acidente que sofreu. E voltou à venda de doces. Mas foi o queijo que agregou novos ganhos ao vendedor, conferindo uma pitada especial nesta história de comercializar produtos caseiros e mineiros.  

Religioso, Maurício entendeu o acidente de moto como a confirmação de que tinha de deixar a vida corrida que estava tendo, pois havia começado a entregar doces na hora do almoço, aproveitando o tempinho de folga do trabalho. Retornado aos doces, ele viu que era o momento de investir em seu trabalho, ou seja, vender doces e outras guloseimas. “O pessoal começou a pedir queijo, falando que cairia bem com o doce”, recorda. Era o sinal de uma nova mercadoria. Surgiu a “Maurício Lelis – doces, queijos e salgados”.

Maurício
Maurício

A prova do apreço das pessoas por queijo é o fato de o vendedor não se atrever a sair sem vários tipos desta mercadoria no carro. Isto porque, vai ser cobrado: – “Cadê o queijinho”. Atualmente, ele oferece queijo trufado, fresco, meia cura, provolone, provolone com salame e o provolone desidratado. De olho no gosto da freguesia, Maurício passou a oferecer queijos que combinassem também com outra paixão dos brasileiros: a cerveja. “O provolone desidratado tem uma aceitação muito grande”, comenta.

Maurício faz questão ainda de oferecer os produtos com procedência garantida. Por isso, tem fornecedores de confiança que garantem a qualidade dos produtos vindos de Minas Gerais. Os queijos, por exemplo, vem de São Roque de Minhas, na região da Serra da Canastra, e Piumhi. “Até o pó de café é mineiro”, reforça comentando sobre outro produto que oferece à clientela. Quanto aos queijos, os de maior sucesso são o branco e o meia cura. O primeiro porque é o predileto de quem faz dieta e o outro porque é o que melhor “casa” com doces pastosos.

Com a venda dos queijos e doces, Maurício brinca que está conseguindo pagar o aluguel e sobreviver. “Se não fosse o queijo, eu não estaria pensando em crescer”, comenta. Com isto, ele não deixou de fazer o doce que aprendeu com a mãe: canudinho. E faz ainda o brigadeiro. As demais guloseimas são originalmente mineiras. Com elas, Maurício percorre Mogi Mirim e Mogi Guaçu.

multi venda queijo mauricio

 

Conheça as etapas de fabricação do queijo

Pasteurização
Os queijos hoje em dia, em geral são feitos a partir de leite pasteurizado (eleva-se à temperatura de 70 a 80° C, durante 15 a 20 segundos) com o objetivo de eliminar a presença de microorganismos prejudiciais à saúde.

 

Coagulação e Corte
Ao leite pasteurizado dependendo do tipo de queijo, é acrescido, coalho, fermento ou ácido láctico, para possibilitar a coagulação do leite. Após a coagulação, corta-se a coalhada para a separação do soro.

 

Agitação, Aquecimento
Dependendo do tipo, cada queijo passa então um processo diferente de agitação e aquecimento da massa.

 

Enformagem
A massa é então enformada em diferentes moldes e tamanhos que conferem ao queijo sei formato final.

 

Prensagem
Depois de enformados, os queijos são prensados para expulsar o excedente de soro.

 

Salga
Em geral, após a prensagem, os queijos são imersos em banho de salmoura antisséptica, responsável pelo teor de sal e pela formação de cascas que os protegem. Alguns queijos recebem a salga na massa ou a seco.

 

Maturação
Após a salga, os queijos passam por processos de secagem em câmaras frias. Em seguida vão para câmaras de maturação, aonde permanecem a temperaturas e com teor de umidade adequados, até atingir o ponto ideal, que varia conforme cada queijo. A maturação é muito importante na definição da aparência, da textura e do sabor do queijo.

 

Embalagem
Em geral, os queijos são embalados após a maturação quando são mantidos sob refrigeração nas fábricas ou durante o transporte.

 

Post anterior

Vazão é baixa, mas abastecimento é garantido

Próximo post

Eleições 2018: Marcelo Costa é pré-candidato pelo PT local