Home»Política»Promotoria de São Paulo acolhe denúncia feita por Natalino

Promotoria de São Paulo acolhe denúncia feita por Natalino

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O vereador Natalino Tony Silva (Rede Sustentabildade) está acompanhando de perto os trâmites do inquérito civil que apura susposta improbidade administrativa na obra feita pela Concessionária Renovias por meio de contrato com a Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transporte do Estado de São Paulo). Natalino apresentou representação ao Ministério Público do Estado de São Paulo em julho passado alegando que houve inexecução das obras de recapeamento na Rodovia SP-342 Km 171+500 ao Km 200+450-2ª. A intervenção está demarcada no trecho que liga Mogi Guaçu ao Espírito Santo do Pinhal. “Estou questionando o valor dessa obra de recapeamento. Será que havia mesmo a necessidade de um novo asfalto nesse trecho? E fico satisfeito que o Ministério Público tenha acolhido minha denúncia, porque é sinal de que há mesmo dúvidas que precisam ser apuradas”, observou o vereador.

A obra está orçada em R$ 28.772.850,00 e teve início em 14 de abril deste ano e tem prazo para terminar em abril do ano que vem. O inquérito civil está sendo feito pela Promotora de Justiça, Karyna Mori, de São Paulo. “Estou acompanhando todos os trâmites e estou defendendo os interesses da população. Tomara que não haja nenhuma improbidade administrativa. Não quero isso, quero apenas que o dinheiro público seja utilizado de maneira correta e idônea”, observou Natalino.

Natalino

O vereador pontuou que há necessidade de se construir duas passarelas na Rodovia SP-342. Uma próximo ao Condomínio Residencial Pantanal I e II e outra na entrada das Chácaras Ouro Preto. “São vidas que passam por lá todos os dias e a todo momento. Estas vidas precisam ser cuidadas e estas passarelas contribuirão para isso. É necessário apurar os fatos e se houve execução ‘errada’ de obras que causou danos aos cofres públicos e prejuízo a segurança das pessoas, principalmente entre motoristas e pedestres”, concluiu Natalino.

O Ministério Público do Estado de São Paulo já notificou tanto a Concessionária Renovias quanto a Artesp para que forneçam documentos e informações solicitadas pela Promotoria por meio do inquérito civil. Ambos os órgãos têm 30 dias para responder à Justiça. A assessoria de imprensa da Renovias confirmou que a Concessionária já foi notificada e cumprirá o prazo respondeu todas as questões à Justiça. A mesma resposta também foi dada pela assessoria de imprensa da Artesp.

 

 

Post anterior

Matrícula da educação infantil começa 2ª feira

Próximo post

Força Tática apreende droga no 'Boa Vista'