Home»Destaque na Home»Projetos ‘empacam’ e cobrança aumenta na Câmara

Projetos ‘empacam’ e cobrança aumenta na Câmara

Vereadores têm cobrado a Prefeitura sobre o andamento dos projetos que serão custeados com os financiamentos

0
Shares
Pinterest WhatsApp

A aprovação dos projetos do Executivo que pediam autorização para o Legislativo para que o município fizesse os financiamentos causou discussão e críticas e, agora, tem gerado cobrança. Semanalmente, os vereadores têm feito cobrança durante seus discursos em tribuna e, nesta semana, não foi diferente. Foram quatro projetos enviados pelo prefeito Walter Caveanha (PTB) desde o ano passado para que o município fizesse os financiamentos e diversas obras e melhorias foram listadas. São R$ 52 milhões que o município conseguiu autorização da Câmara para poder emprestar com os bancos Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Na segunda-feira (18), durante sessão da Câmara, a cobrança dos vereadores foi com relação ao andamento dos projetos. Eles reclamaram da falta de informações da Administração Municipal e também da morosidade do andamento das melhorias.

Os vereadores Fábio Aparecido Luduvirge Fileti (PSDB), Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), e Natalino Tony Silva (Rede) lembraram a obra prometida para resolver os alagamentos do Jardim Santa Terezinha. Para eles, as melhorias já deveriam ter sido feitas, a fim de evitar que os moradores voltem a sofrer com os alagamentos com a chegada do período das chuvas. “Quero expressar minha preocupação com as chuvas. Recebemos nessa Casa o secretário de Obras no início do ano, quando o próprio falou com essas palavras ‘galeria se faz nessa época e não em época de chuva’. E agora? Não fez nada até agora. Você imagina a aflição dos moradores do jardim Santa Terezinha toda vez que chove. Não vejo nenhuma atitude do Governo Municipal”, criticou ao comentar que provou que a Prefeitura tinha dinheiro para fazer as obras antienchentes do Jardim Santa Terezinha. “Já falei que a prioridade do prefeito é outra. Tudo para a faculdade municipal e o que precisa ser feito não é. Ele pega um empréstimo de R$ 800 mil para fazer e não faz”.

O vereador Jéferson Luís da Silva (PROS) também revelou a preocupação com o período de chuva e cobrou um posicionamento da Prefeitura com relação a obra anunciada e prometida aos moradores. “Apresentei um requerimento com as pautas dos recursos que foram liberados pela Câmara, sendo um deles a obra que irá resolver o problema das enchentes no Santa Terezinha, entre outras. Precisamos saber como está o processo do andamento desses recursos”, comentou em tribuna.

O vereador do PROS recordou que a Administração Municipal reforçou que os projetos que autorizavam os financiamentos precisavam ser aprovados com certa urgência por conta de prazos e, principalmente, para que a obra antienchente fosse feita o quanto antes. “Eles trouxeram para a Câmara Municipal a informação que estavam preocupados com as chuvas de final de ano, especialmente o Santa Terezinha. Não podemos mais um ano aquela população com risco de perder seus bens na chuva. O final de ano está chegando, as chuvas também e não vemos nenhum início do obra para resolver o problema daquela população que aguarda há décadas”, salientou Jéferson ao comentar que também irá cobrar o andamento dos demais projetos prometidos pela Prefeitura, como a duplicação da Avenida Brasil.

Os vereadores Natalino e Guilherme da Farmácia endossaram a cobrança feita pelos colegas à Administração Municipal. “Tantas e tantas coisas que precisam ser feitas na cidade e nada. O que a gente cobra aqui sempre são as prioridades, mas prioridades estas que, infelizmente, a Administração Municipal não está fazendo”, salientou Guilherme da Farmácia.

 

Financiamentos

Dos projetos anunciados pela Prefeitura e que serão custeados pelos empréstimos, apenas o pacote dos R$ 10 milhões do FINISA (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento), da Caixa Econômica Federal, foi quase que totalmente concluído.  A pavimentação asfáltica completa da Avenida Nico Lanzi foi entregue há uma semana, assim como a compra de três caminhões de lixo foi feita e está em andamento a construção de um prédio anexo na Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro” para uso do curso de medicina.

Já o projeto que autorizou o empréstimo de R$ 29 milhões, somente agora é que começou a sair do papel com o processo licitatório das Avenidas Brasil, Trabalhadores e Alíbio Caveanha sendo feito, mas ainda faltam as pontes. Já os dois financiamentos aprovados em agosto desse ano estão parados.

Obras e melhorias anunciadas pela Prefeitura

 R$ 29 milhões- financiamento aprovado em dezembro 2018

  • Pavimentação, recapeamento, ciclovias, passeio e iluminação da Avenida Abílio Caveanha, onde também haverá o corredor de ônibus – R$ 2.585.810,15;
  • As mesmas melhorias citadas acimas, com exceção do corredor de ônibus, na Avenida Brasil – R$ 6.667,452,57;
  • As mesmas melhorias citadas acimas, com exceção do corredor de ônibus, na Avenida dos Trabalhadores – R$ 6.613.358,64
  • Construção de ponte e infraestrutura na Avenida Brasil – R$ 4.067,183,81;
  • Implementação na infraestrutura na ponte já existente na Avenida Brasil – R$ 2.668.844,12;
  • Construção de ponte e infraestrutura na Avenida dos Trabalhadores – R$ 4.553.951,91;
  • Implementação de infraestrutura para a ponte desta mesma avenida – R$ 2.506.034,28.

 

R$ 10 milhões FINISA- financiamento aprovado em dezembro 2018

  • Pavimentação asfáltica completa da Avenida Nico Lanzi
  • Compra de três caminhões de lixo
  • Construção de um prédio anexo na Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro” para uso do curso de Medicina

 

R$ 5 milhões – financiamento aprovado em agosto 2019

Pavimentação

Feira livre

Bairro Tabajara (Igaçaba)

Martinho Prado Júnior

 

Iluminação

Alíbio Caveanha- Fase 2

Sebastião de Paula Lima

Nico Lanzi

Oscar Chiarelli

Av. Trabalhadores

Ponte “Trabalhadores”

Martinho Prado Júnior

 

Recapeamento

Lothário Teixeira

Antonio Marquesi

 

Santa Terezinha

Galeria/Canal Pluvial

 

R$ 8 milhões- financiamento aprovado em agosto de 2019

Paço Municipal

Readequação elétrica, hidráulica, pintura, telefonia, informática e saguão (térreo)

 

Iluminação

Luiz Gonzaga de Amoedo Campos

Chácaras Alvorada

 

Pavimentação- novo

Chácaras Alvorada

Av. Basílio Brunherotto

Distrito Industrial Caruso

Luiz Gonzaga de Amoedo Campos

 

Recapeamento

Luiz Gonzaga de Amoedo Campos

 

Guarda Civil Municipal

Reforma “Pré Moldado”

O que diz a Prefeitura sobre os projetos dos financiamentos

 R$ 29 milhões- financiamento aprovado em dezembro 2018

São 3 obras de grande porte.

– Uma licitação foi realizada no dia 11/11/2019 e está em fase de julgamento e recurso. Não é uma licitação concluída. É para o recape da Avenida dos Trabalhadores, duplicação da Avenida Brasil e construção da 1ª etapa da Avenida Alíbio Caveanha.

– Outra é iluminação das Avenidas dos Trabalhadores, Brasil e Alíbio Caveanha. A licitação será feita em janeiro.

– A terceira é a construção de duas pontes sobre o Rio Mogi Guaçu que está na fase final de projeto.

 

R$ 10 milhões FINISA- financiamento aprovado em dezembro 2018

– A obra da Nico Lanzi foi concluída.

Quatro caminhões de lixo foram comprados e entregues.

A construção de prédio na FMPFM já está em andamento.

E o georreferenciamento já está em execução.

 

R$ 5 milhões – financiamento aprovado em agosto 2019

Não houve ainda a liberação dos recursos do Banco do Brasil. As licitações para a Feira Livre do Parque Cidade Nova, recape da Lotário Teixeira e Antonio Marquesi, pavimento do Jardim Tabajara e Martinho Prado, iluminação da Avenida Alíbio Caveanha (fase 2) serão publicadas. Ainda há iluminação de seis vias e a galeria do Santa Terezinha, esta está em fase de projeto.

 

R$ 8 milhões- financiamento aprovado em agosto de 2019

Não houve ainda a liberação dos recursos do Banco do Brasil. Está em fase de projetos.

 

 

Previous post

Festival Talentos da Terra reúne 12 bandas

Next post

Consciência Negra: Mogi Guaçu engatinha rumo à igualdade