Home»Política»Projeto quer permitir doação de sobras de materiais de construção às famílias carentes e entidades

Projeto quer permitir doação de sobras de materiais de construção às famílias carentes e entidades

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Doar às pessoas carentes e entidades beneficentes o recebimento e depósito de sobras de materiais de construção é a proposta do Projeto de Lei, de autoria do vereador Natalino Tony Silva (Rede Sustentabilidade). O Projeto ainda está tramitando nas Comissões Permanentes da Câmara Municipal e, por isso, ainda não foi para votação do plenário.

De acordo com o Projeto de Lei, a Prefeitura de Mogi Guaçu ficaria autorizada a receber sobras de materiais de construção que vierem de edificações, reformas, escombros ou ruínas para doação e reaproveitamento por famílias carentes e também por entidades beneficentes podendo ser usados para pequenos reparos como também para construção de moradias ou para utilização pelo Poder Público, caso necessário. “Temos areia, azulejos, blocos, cimento, grades, janelas, fios elétricos, enfim, uma vasta opção de sobras de materiais que podem ser doados por pessoas físicas ou pelas empresas que vão servir para diversas melhorias de moradias”, frisou Natalino.

Ainda de acordo com o Projeto de Lei, para o despejo desses materiais, a Prefeitura de Mogi Guaçu terá de destinar um local para uma Central de Distribuição, visando ao recolhimento e armazenagem das doações, de preferência que seja de fácil acesso. “A Secretaria de Planejamento da Prefeitura seria a responsável por coordenar este projeto, administrando a recepção e depósito destes materiais doados e, também acompanhando os reparos das obras”, sugere Natalino.

Para ele, esse Projeto de Lei caracteriza-se como forma real de responsabilidade social por parte do Poder Público em parceria com a sociedade organizada. “Vamos propiciar uma forma de reaproveitar os materiais desperdiçados e proporcionar às famílias de baixa renda e entidades cadastradas a possibilidade de reformar ou construir sua casa própria com mais agilidade e maior dignidade”, concluiu o vereador.

 

 

Post anterior

Vice de Doria, Rodrigo Garcia visita a região

Próximo post

Mudança na Lei Orgânica que pressiona secretários segue na gaveta