Home»Destaque na Home»Primeiro semestre do ano registra aumento de veículos furtados

Primeiro semestre do ano registra aumento de veículos furtados

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O primeiro semestre do ano acabou com um registro nada agradável para Mogi Guaçu com relação a furtos de veículos. Isso porque, os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo mostram que houve um aumento do crime com relação ao mesmo período do ano passado. De Janeiro a Junho de 2017, a cidade registrou 177 furtos a veículos. Agora, em 2018, o mesmo período tem 233 furtos a veículos. Isso significa que existe um aumento de 56 casos.

O comandante operacional da GCM, Claudemir Adorno da Costa informou que os dados da guarda civil também mostram que nos primeiros seis meses do ano passado, 16 veículos furtados foram encontrados. Já agora, de janeiro a junho de 2018, foram localizados 38 veículos. No entanto, por trás desse crescimento que parece ser positivo existe um alerta.  Adorno explicou que o número de autos encontrados praticamente dobrou porque existe uma nova modalidade de crime. “Os ladrões de veículos estão entrando em contato com as vítimas para solicitar uma quantia em dinheiro em troca de ter o veículo de volta”.

“Não é a toa que na maioria dos casos, a própria vítima chega dizendo que achou o seu veículo. Isso porque, o ladrão que consegue receber o valor solicitado indica onde vai abandonar o veículo”, esclareceu o comandante que ainda orientou que nessa nova modalidade que envolve a extorsão, a vítima precisa comunicar a Polícia Civil que pode investigar e tentar prender o criminoso.

Questionado sobre qual região da cidade é apontada como sendo a que mais registra furtos de veículos, Adorno apontou a Zona Sul. “Na região do Hospital “Dr.Tabajara Ramos” acontece muito furto de veículos. A GCM aumenta o patrulhamento e faz abordagens, mas é um dos crimes mais difíceis de serem combatidos.  Isso porque, a gente não pode prender uma pessoa suspeita se ela não estiver com alguma coisa errada, como por exemplo, uma arma ou for pega em flagrante”.

568_Adorno

O capitão da PM de Mogi Guaçu, Eduardo Jorge Marques, considerou que o crescimento de furtos de veículos também acontece por conta do aumento da frota da cidade. Além disso, o capitão enfatizou que o furto de veículos abastece todo um comércio ilegal. “Existe um comércio grande de peças de veículos usados e isso é algo muito rentável. Os ladrões furtam veículos para vender as peças deles, após eles serem desmanchados”.

“A demanda por essas peças é tão alta que muitos ladrões trabalham por encomenda, eles são contratados para furtar determinados veículos, principalmente para desmanches ilegais”, explicou o capitão.

Capitão Marques, ainda pontuou que o ladrão procura facilidade. “O crime de furto é afiançável, é diferente, por exemplo, de um roubo ou de um sequestro. Então o indivíduo procura agir nessa modalidade porque a probabilidade dele ser pego e ficar preso, infelizmente, é menor”.

Por essa razão, o capitão da PM passou algumas orientações.  “No geral, os locais que mais oferecem riscos são estacionamentos a céu aberto, que ficam perto de hospitais, escolas, faculdades, agências bancárias, bares e restaurantes. Geralmente, o ladrão está ali observando que a vítima vai entrar nesses lugares e vai demorar um tempo por lá, momento em que ele age”.

Algumas dicas, que parecem ser óbvias, mas acabam sendo negligenciadas também dificultam o agir do ladrão se forem cumpridas. “O local mais seguro de estacionar é em ambientes fechados, mas se for inevitável é orientado evitar lugares vazios e escuros. Procure sempre parar em ruas movimentadas, em frente a prédios com vigias. Além disso, o seguro em um carro é importante, mas quem não tem pode colocar uma trava, um alarme, um rastreador, e até mesmo um bloqueador de combustível”.

“Todas essas preocupações vão dificultar o trabalho do ladrão que sempre visa o veículo mais vulnerável”, ressaltou o capitão Marques que ainda disse que as motocicletas são as mais furtadas, principalmente as de menor cilindrada. “É muito fácil levar uma moto porque os ladrões tem uma chave micha que estoura facilmente o miolo do veículo. A orientação é sempre travar o guidão quando estacionar”.

Capitão Marques finalizou dizendo que as pessoas devem evitar colocar em seus veículos adesivos que identificam suas rotinas. Além disso, é preciso também evitar ficar equipando os veículos. “Às vezes a pessoa fica trocando uma roda, colocando um som melhor e tudo isso agrega valor e chama mais ainda a atenção dos ladrões”.

582_Capitão Marques

Investigações

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu investiga os casos de furtos a veículos. A delegada titular da DIG, Edna Salgado Martins, explicou que recentemente um ladrão de veículos foi identificado. “Foi constatado que uma pessoa da cidade de Campinas vinha furtar veículos aqui em Mogi Guaçu e em Mogi Mirim. Essa pessoa fez de sete a oito furtos de veículos por aqui. Houve uma investigação, nós utilizamos imagens de câmeras de segurança e fomos constatando como ele e mais uma pessoa agia. Nesse caso específico essa pessoa foi identificada e está respondendo pelo crime”.

“Com isso, a gente consegue ver que muitas vezes os ladrões vêm de fora. Existem também casos de pessoas de Mogi Mirim que vem furtar veículos em Mogi Guaçu, principalmente motos”.

A delegada orientou que em todos os casos, as vítimas devem procurar a polícia porque dentro do furto de veículos muita gente acaba sendo vítima de outras modalidades como a da extorsão já citava pela GCM, e como o golpe do seguro, onde o dono do veículo forja um furto depois de levar o próprio veículo para um desmanche.

597_Delegada Drª Edna

 

 

 

 

 

Post anterior

“Amor de Pai” pelas lentes de Carlos Almeida

Próximo post

Dia dos Pais: Heliton herdou o ofício do pai