Home»Destaque na Home»Prefeito quer autorização para novo empréstimo

Prefeito quer autorização para novo empréstimo

Investimento seria para nova feira livre no Parque Cidade Nova, recapeamento de vias e obras antienchente

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O prefeito de Mogi Guaçu, Walter Caveanha (PTB), está trabalhando em um projeto que será encaminhado para análise dos vereadores. Trata-se de um novo empréstimo que deve ser feito pelo município. O assunto já vem sendo discutido internamente entre o chefe do Executivo, seus secretários e também com os vereadores aliados.

A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que “ainda estão sendo feitos estudos, segundo informou o Gabinete, que às terças-feiras tem se reunido com secretários para discutir projetos prioritários”. Porém, a Gazeta apurou que o valor do empréstimo seria de cerca de R$ 5 milhões e que três projetos são considerados prioritários: investimento no canteiro central do Parque Cidade Nova para receber a feira livre, recapeamento de vias e das obras antienchentes na região do Jardim Santa Terezinha.

O novo empréstimo foi assunto durante a última sessão da Câmara antes do início do recesso, no dia 24 de junho. Os vereadores da oposição comentaram sobre o assunto durante discursos em tribuna. Eles mostraram-se preocupados com a questão do endividamento do município, pois a Administração Municipal acaba de emprestar mais de R$ 60 milhões para diversos investimentos, sendo que alguns já foram iniciados.

reuniao prefeito e vereadores investimento cidadeNa última terça-feira (2), Caveanha recebeu, em seu gabinete, sete vereadores para uma reunião de trabalho. Também participaram engenheiros, técnicos e outros profissionais para discutir os investimentos anunciados recentemente pela Prefeitura. Todos os projetos são ou serão pagos com os valores obtidos por meio dos empréstimos. (Veja nesta página).

Além de discutir sobre os projetos que já estão definidos, o prefeito falou com os vereadores Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC), Jéferson Luís da Silva (PROS), Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP), Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), Luiz Carlos Nogueira, o Carlos Kapa (PSD) e Thomaz Caveanha (PTB), sobre os novos investimentos.

O vereador Jéferson Luís, confirmou que o prefeito falou sobre os pontos que precisam ser investidos no município e que os vereadores deram sugestões. “Ele ouviu nossas sugestões e ficou de conversar com sua equipe para fazer os cálculos. Tenho defendido que antes de recapear deve-se asfaltar e indiquei a Rua Basílio Brunheroto como sendo prioritária. Mas o município tem muitas vias que precisam de melhorias”, comentou.

Jéferson foi enfático ao ser questionado pela reportagem sobre qual seria a prioridade dos projetos apresentados pelo prefeito: as obras contra enchentes na região do Jardim Santa Terezinha. “A questão da enchente da região do Santa Terezinha é prioritária. Os moradores aguardam há mais de 30 anos por uma solução e não podemos esperar a próxima enchente para que algo seja feito. Essa, com certeza, é a principal prioridade”, ressaltou o vereadores que comentou que o prefeito também falou sobre o projeto da feira e sobre o recapeamento de vias. “A Rua Lothário Teixeira é uma das vias que será recapeada”, disse.

Sobre a feira livre, Jéferson contou que sugeriu ao prefeito que uma audiência pública seja promovida para ouvir feirantes e moradores. “Há cinco anos venho defendendo o mesmo posicionamento que é o de ouvir os feirantes. Acho que essa discussão tem que acontecer na construção do projeto”, enfatizou.

reuniao prefeito e vereadores investimento cidade

Pedidos

O vereador Luciano da Saúde contou que sugeriu ao prefeito que inclua no novo pacote de investimentos a iluminação da Avenida Júlio Fernandes, em Martinho Prado Júnior. “Essa avenida foi duplicada, mas não teve um projeto de iluminação e pedi para o prefeito incluir nesse pacote e é um pedido antigo dos moradores”, comentou ao afirmar que concorda que a prioridade seria as obras antienchentes do Santa Terezinha. “A emergência será a obra do Santa Terezinha, pois já que chega o período de chuvas e os moradores voltam a perder seus pertences. Essa é a prioridade”, ressaltou.

Luciano disse que o projeto da nova feira na Avenida Julio Xavier da Silva é bonito e moderno. “Ele (prefeito) quer conversar com os feirantes e moradores para apresentar o projeto”, enfatizou.

OPOSIÇÃO

Vereadores querem tempo para analisar projeto

Nas sessões da Câmara dos dias 17 e 24 de junho, a possibilidade da Prefeitura fazer novo empréstimo foi comentada pelos vereadores Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), e Fábio Aparecido Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB).

Guilherme da Farmácia defende que é necessário cautela antes da aprovação de um novo empréstimo. “Tive a informação que o Governo Municipal pretende fazer e enviar a essa Casa um pedido para autorização para um novo empréstimo e é um assunto que requer muita discussão”, comentou.

Guilherme
Guilherme

Para Guilherme, o fato de a Prefeitura já ter feito financiamentos deve ser levado em conta, principalmente porque o mandato do prefeito Walter Caveanha se encerra em dezembro do próximo ano.  “A partir de agora eu acredito que vai ter que ter uma discussão ampla se um novo projeto chegar a essa Casa. Até porque quem irá pagar a conta não é o atual prefeito, pois seu mandato termina no ano que vem”, ressaltou o vereador que enfatizou que as obras são necessárias e importantes para o município. Porém, ele sugere que exista um planejamento para o pagamento dessas dívidas. “O prefeito passou seis anos dizendo que pegou uma cidade endividada e até hoje ele coloca isso nos seus discursos e ele quer endividar a cidade para deixar para o próximo prefeito pagar a conta. Então, precisa de cautela. Ver a viabilidade desse novo empréstimo e o quanto isso irá comprometer o orçamento do município”, disse.

Já o vereador Fabinho foi enfático ao afirmar que o Governo Municipal precisa planejar a execução das obras para que não aconteça o mesmo com as que estão paralisadas, como é o caso das creches do Jardim Guaçu Mirim e Jardim Chaparral. O vereador também defendeu que o Executivo envie para a Câmara o projeto com antecedência e que as obras sejam discriminadas separadamente e não um valor total com vários projetos listados. “Os próximos financiamentos que venham separados. Obra por obra. Temos obras há sete anos paradas. Não vem querer maquiar com uma coisa importante que precisamos e outra da vontade dele. Nós vamos deixar a população ciente do que concordamos e o que não concordamos. O que seria prioridade para a população hoje”, comentou durante seu discurso na Câmara ao lembrar que um dos financiamentos feitos beneficiou a Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro” com a construção de um prédio.

Fabinho
Fabinho

 O vereador tucano acredita que os investimentos feitos na faculdade municipal por conta do curso de medicina não têm o aval da população. “Faculdade de medicina ou um viaduto? Qual seria a prioridade da população?, indagou Fabinho.

Os vereadores estão na expectativa de que o prefeito envie à Câmara o novo projeto que pede autorização para o financiamento ainda neste mês. Neste caso, uma sessão extraordinária terá que ser solicitada por Caveanha por conta do recesso parlamentar dos vereadores. 

 

 

Previous post

Liquida Mogi Guaçu e Feira do Livro acontecem neste final de semana

Next post

Financiamentos aprovados somam R$ 63 milhões