Home»Destaque na Home»PM e GCM atuarão juntas no combate ao crime

PM e GCM atuarão juntas no combate ao crime

“Indicadores criminais devem baixar rápido”, afirma comandante do Batalhão

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Por Alair Junior

A Polícia Militar apresentou, durante uma reunião sobre Segurança Pública Regional, os dados estatísticos referentes aos números de crimes registrados na região de Mogi Guaçu, no ano passado. Essa contabilidade serve como um indicador criminal que o comando da PM utiliza para mapear as regiões que necessitam de mais patrulhamento e direcionar os recursos de segurança pública. A reunião foi realizada na sede do 26º Batalhão de Polícia Militar do Interior, na quarta-feira (31) e, contou com a presença de comandantes da PM e GCM das oito cidades que compõe a área de abrangência do 26º BPM/I, ou seja, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Estiva, Itapira, Holambra, Jaguariúna, Santo Antônio de Posse e Pedreira.

reuniao batalhao policia e secretarios seguranca municipaNo total, essas cidades contam com mais de 460 mil habitantes e os números que mais chamaram a atenção do comando da PM são os casos de letalidade violenta (assassinatos), estupros, furtos e roubos. “Embora a taxa desses crimes esteja dentro do esperado e abaixo da média para cada 100 mil habitantes, são casos que preocupam e requerem medidas para sua redução”, observou o tenente-coronel Denilson Natal Colombo, comandante do batalhão.

Diante do atual panorama desses indicadores criminais, o comandante decidiu reunir os comandantes das cidades vizinhas, tanto da PM quanto da GCM, e propôs uma atividade em conjunto com os oito municípios para atuarem contra o crime. “A PM e as Guardas Civis Municipais têm condições de oferecer mais segurança para a população trabalhando em conjunto”, observou o comandante. Colombo também ouviu sugestões dos participantes e focou nessa parceria entre as forças de segurança que resulta no aumento do policiamento. “Vamos intensificar a comunicação entre os comandantes de companhias das PMs e os comandantes das guardas. Assim maximizar os meios, buscar soluções em conjunto, otimizar o atendimento as ocorrências e obter resultados melhores em 2018. Tenho certeza que vamos diminuir esses indicadores criminais”, observou Colombo. O plano já está em prática e o grupo deve se reunir novamente, em três meses, para uma nova análise dessa estatística. 

reuniao batalhao policia e secretarios seguranca municipal

Crimes em 2017

O levantamento apontado pela PM demonstra que Mogi Guaçu é a cidade que mais registra crimes violentos na região, proporcionalmente, também é a cidade com maior número de habitantes. São 149.396 moradores e, em 2017, a cidade registrou 12 homicídios, 33 estupros e mais de 1.700 casos de furtos e roubos. Mogi Mirim, com 92.365 habitantes, vem logo atrás com 7 homicídios, 18 estupros e mais de 900 casos de furtos e roubos. Itapira, 73.844 habitantes, contabiliza 5 homicídios, 7 estupros e mais de 500 casos de furtos e roubos.

Estiva Gerbi com 10.772 habitantes não registrou nenhum homicídio no ano passado, mas foram 9 casos de estupros e mais de 140 casos de furtos e roubos. Jaguariúna tem 54.204 habitantes e apenas um caso de homicídio, 12 estupros e mais 400 casos de furtos e roubos.

Pedreira com seus 46.598 habitantes não registrou nenhum homicídio em 2017. Foram 8 estupros e mais de 120 casos de furtos e roubos. Santo Antônio de Posse possui 22.801 habitantes e um caso de homicídio, 5 de estupros e mais de 200 casos de furtos e roubos. Holambra é a cidade que teve o índice mais baixo. Com 14.012 habitantes nenhum caso de homicídio ou estupro foi registrado no ano passado. Furtos e roubos somam 60 casos.

“É importante lembrar que dos casos de assassinato em Mogi Guaçu, oito foram crimes de natureza passional, que é um crime difícil de ser previsto e que, todas as cidades estão abaixo da média para 100 mil habitantes”, observou Coronel Colombo.

 

Post anterior

Mogi Mirim sofre gol aos 48 do segundo tempo e perde para o Rio Preto

Próximo post

Base da Força Tática se muda para Mogi