Home»Destaque na Home»PM apresenta balanço do último trimestre

PM apresenta balanço do último trimestre

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Roubo de celulares e veículos foram crimes mais registrados pela Polícia Militar nos meses de julho, agosto e setembro. A estatística foi apresentada pelo comandante interino da Companhia da PM de Mogi Guaçu, Luís Gustavo Aparecido Tuckumantel.

O tenente comentou que a estatística para roubo de celular foi separada das demais ocorrências devido o crescimento nos últimos anos. “Isso nos aflige e tornou-se uma moeda de troca, para fazer dinheiro”, ilustrou.

Foram 51 casos registrados pela PM no mesmo trimestre do ano passado e 59 no último trimestre. Quanto a roubo de veículos, no ano passado foram 20 e nesse ano 31. Tuckumantel disse que observou que os veículos (carro ou moto) são usados para que os criminosos cometam outros delitos e depois os abandonam. No caso de veículos importados, esses não são localizados, indicando que possam ser destinados a ‘desmanches’ ou usados como ‘dublês’.

Roubos a transeuntes, comércio e residência caíram em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Houve um decréscimo de 20 casos nas chamadas ocorrências de ‘assaltos’. Furto de veículos manteve o número de ocorrência praticamente estável. Um dado interessante sobre outros tipos de furto é que muitos, embora entrem na estatística, não são considerados crimes. Observou-se que muitos que registram furto de documentos, na verdade, o fazem para se ver livre do pagamento de taxas para a emissão de novos documentos. O que ocorreu foi perda de documento.

Referente ao número de homicídios, nos meses de julho, agosto e setembro do ano passado foi apenas um caso registrado. Nesse ano foram cinco. Dois foram esclarecidos e os autores presos. Os demais seguem em investigação pela Polícia Civil, sendo que em dois as vítimas estavam supostamente envolvidas em crimes e contravenções penais. O outro é um feminicídio, e está relacionado ao ambiente familiar.

audiencia policia militar tenente tuckumantel

 

Prevenção

Para o tenente, a população em algumas vezes facilita o crime por expor muito os bens e pelo descuido com patrimônio. Ele cita o caso em que ao analisar as ocorrências, as vítimas estavam distraídas ao celular, vizinhos que suspeitaram de alguém no bairro e só se lembram disso quando alguma residência foi furtada. “Na última ocorrência a vítima deixou a chave no contato, deixam objetos de valor dentro dos veículos, casais de namorados em ruas desertas e praças escuras. Assim fica difícil prevenir o crime. Suspeitou de alguém liga. Porque se não for um criminoso o policial acaba atuando de forma preventiva. Vamos fazer a nossa parte, mas a população tem que prevenir”, pontua o tenente.

No combate ao uso de drogas e violência, o programa Proerd (Programa de Resistências às Drogas e Violência) continua nas escolas. Nesse trimestre foram seis escolas e 378 alunos participando de ações preventivas.

Embora a área rural seja extensa, o patrulhamento rural consiste na troca de informações com moradores dessas regiões para evitar principalmente o roubo.

 

Menos viatura nas ruas

As escoltas às presas da penitenciária feminina tem tirado viaturas das ruas. Esse é uma demanda que cresce e que tem sido sempre apontada pelo comando da PM como um grande fardo. No último trimestre foram 114 escoltas, sem contar as escoltas já feitas por uma equipe específica da Polícia Militar do Batalhão. “Se contarmos o que a escolta faz esse número sobe, sem contar também as escoltas para as audiências de custódia. Uma nova demanda do Judiciário que determina que um preso em flagrante deve ser apresentado ao juiz dentro de 24 horas”, desabafou Tuclumantel.

Algumas mudanças devem contribuir para agilizar o trabalho da PM. A descentralização da ROCAM (Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas), com oito policiais agora fixos na cidade. Antes os policiais de ROCAM se dividiam nas oito cidades abrangidas pelo comando do Batalhão. Agora uma equipe ficou em cada município.

A audiência foi realizada na noite de segunda-feira (9), no Centro Cultural. A próxima está prevista para janeiro.

audiencia policia militar tenente tuckumantel

Desabafo

O major Adriano Daniel, representando o Batalhão da PM, que administra os policiais em oito cidades da região, lamentou a falta da participação popular. Apenas um munícipe participou.

“Estamos aqui para prestar contas, ouvir o que a população precisa. Segurança Pública é um contexto, é uma corrente com vários elos. Somos só a ponta. Agora, se a comunidade não participa, estamos fadados ao insucesso. Como vamos interagir se não há interesse?”.

Ele citou que muitas das ocorrências que chegam à PM são por falta de cuidados familiares, como de adolescentes que praticam atos infracionais, da omissão dos poderes Executivo (falta de iluminação pública, área com mato alto, programas de saúde pública relacionados ao uso de drogas) dos poderes Legislativos (falta de legislação de trânsito, atualização das leis penais). “Existe lazer suficiente para ocupar os jovens? Há trabalho? Tudo isso impacta na sociedade. E de quem é a culpa? Da Polícia. Segurança Pública é muito mais que ligar no Disque 190”, concluiu o major.

O comerciante Rodrigo Iricevolto Sobrinho é de Mogi Guaçu e morava fora. Mas retornou ao município há cerca de três anos e decidiu participar mais dos assuntos da cidade e tem frequentado as reuniões do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança). “Eu vim para prestigiar e também fiscalizar e saber no que eu posso fazer, ou identificar o que pra mim pode ser melhorado”, disse o único munícipe que lamentou a falta de mais pessoas da comunidade.

Participaram da audiência o presidente da Câmara de Vereadores, Luís Zanco Neto (PTC), a secretária Municipal de Segurança, Judite de Oliveira, o presidente e secretário do Conseg, Adriano da Mata e Acácio Aparecido Bento, e o diretor administrativo da Penitenciária Feminina, Uelinton Guimarães da Silva.

audiencia policia militar

 

PRODUTIVIDADE – julho a setembro

Policiais de Mogi Guaçu

648 boletins de ocorrência

5.983 pessoas fiscalizadas

1.538 carros fiscalizados

1.132 motocicletas fiscalizadas

51 presos em flagrante

10 menores apreendidos em cometimento de Ato Infracional

4 armas apreendidas

11 procurados capturados

 

Policiais de apoio – Força Tática

45 boletins de ocorrência

972 pessoas fiscalizadas

244 carros fiscalizados

61 motocicletas fiscalizadas

23 presos em flagrante

8 capturados

Post anterior

Curtas: fuga pelo telhado e furto de cavalo

Próximo post

Confira o que abre e fecha neste feriado