Home»Caderno C»Piracicaba abre inscrições para o 4º Salão de Aquarelas

Piracicaba abre inscrições para o 4º Salão de Aquarelas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Da Redação

A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo (SemacTur), oferece até o dia 28 de fevereiro, inscrições para o 4º Salão de Aquarelas (SAP). Artistas de todo o país podem começar a inscrever os seus trabalhos para a mostra que acontecerá no mês de junho deste ano, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra. A ficha e o regulamento encontram-se disponíveis no Facebook da Pinacoteca e no Blog semac.piracicaba.sp.gov.br/pinacoteca.

De acordo com o diretor da Pinacoteca Municipal, Eduardo Borges de Araujo, o Salão de Aquarelas foi criado com o objetivo de valorizar a técnica da Aquarela e possibilitar a participação de artistas de todo o território nacional. “Atende aos anseios da classe artística, em particular dos aquarelistas, que vêm a valorização dessa arte e a oportunidade da exposição de obras feitas com pigmentos que encantam os aficcionados do mundo inteiro”, comenta.

A edição de 2017 contou com 317 obras, inscritas por 92 artistas de 26 cidades e sete estados brasileiros: Bahia, Minas Gerias, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Após análise do júri, 94 telas foram escolhidas para a exposição do 3º SAP. “Observamos, a cada edição, um crescente aumento das inscrições e o surgimento de novos artistas de todo o país. Piracicaba é reconhecida como a cidade da cultura e das artes, com salões ininterruptos durante o ano”, ressaltou a secretária da Ação Cultural e Turismo, Rosângela Camolese.

aquarela

Origem

A aquarela é uma técnica que surgiu na China há mais de 2000 anos, e se supõe que esteja relacionada à invenção do papel e dos pincéis de pelo de coelho. No ocidente é divulgada desde a Idade Média por Tadeo Gaddi, discípulo de Giotto, que teria produzido desenhos aquarelados feitos sobre papel tipo pergaminho até 1366. Utilizada por artistas flamengos, foi amplamente empregada em Florença e Veneza. Foi com Albert Dürer que a aquarela pôde resistir ao tempo, já que ele deixou pelo menos 120 obras nesta técnica. Entre os artistas que se destacam na técnica estão John White, Alexander Cozens, William Blake, John Cotman, Peter De Wint, John Constable e William Turner.

Post anterior

Ana Laura

Próximo post

Morte de aposentado é investigada