Home»Política»Partido Novo quer reforçar presença em Mogi Guaçu

Partido Novo quer reforçar presença em Mogi Guaçu

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Um núcleo com aproximadamente 25 pessoas tenta fortalecer o Partido Novo, em Mogi Guaçu. Com 18 filiados, a sigla terá candidato a deputado estadual e também federal nas eleições gerais deste ano. Além de tentar elegê-los, o Partido Novo também tem como meta inovar o sistema da política partidária. “É um partido de ideias, e não de pessoas. Se não tiver alinhamento com as propostas do Partido Novo, basta sair e procurar outra legenda para filiar-se”, explicou um dos integrantes do PN, Thyago Luiz Frassetto Rodrigues.

De acordo com ele, o Partido Novo é diferente de todas as outras siglas, inclusive, no sistema de filiação. A principal exigência é que os interessados em ingressar no partido estejam cientes de que a proposta é totalmente diferenciada e estejam alinhados com isso. Uma das peculiaridades que mais chama a atenção é que o Partido Novo não tem Fundo Partidário. “Ou seja, R$ 900 milhões saem dos impostos que todos nós pagamos e são direcionados para financiar partidos políticos. Com exceção do Partido Novo, que não recebe Fundo Partidário nenhum”, frisou Thyago.

tiago fraccettoPara sustentar a sigla financeiramente, os próprios filiados ao Partido Novo pagam uma mensalidade de, no mínimo, R$ 29. Embora o valor seja considerado baixo, a sigla já está com superavit, comprovando que é possível financiar um partido com menos dinheiro. “O Partido Novo está com R$ 2 milhões parados numa conta bancária. Esse dinheiro é proveniente do Fundo Partidário. Mas, como o PN não se sustenta com essa ferramenta, estamos buscando uma maneira de devolver esse dinheiro aos cofres públicos”, explicou Thyago.

A princípio, os fundadores do Partido Novo – cerca de 118 pessoas entre profissionais liberais, estudantes, profissionais do mercado financeiro – estavam dispostos a fundar uma ONG (Organização Não-Governamental), mas perceberam que para ‘entrar’ no governo precisavam de um instrumento mais categórico e optou-se, então, pela fundação do Partido Novo. “Este ano, já teremos a chapa completa disputando as eleições. Inclusive, já temos nosso candidato ao Governo do Estado de São Paulo, Rogério Chequer”.

O zelo e o respeito para com o dinheiro público também são os princípios que o Partido Novo defende. Em 2016, a sigla elegeu quatro vereadores nas capitais, como Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Juntos, eles já economizaram, aproximadamente, R$ 4 milhões para os cofres públicos somente cortando verbas de gabinete. “Para se filiar ao Partido Novo a pessoa tem que ser ficha limpa, caso contrário, a filiação não é aceita. Com isso, qualquer um dos nossos filiados poderão ser candidatos a cargos públicos porque todos são fichas limpa”, pontuou Tiago, que é pré-candidato a deputado federal, nas eleições de outubro.

“Inclusive, para ser aceito como candidato a qualquer cargo público pelo Partido Novo o filiado precisa ser aprovado em quatro etapas: prova que inclui vídeo, currículo profissional e de atuação política até um treinamento sobre como será feita a campanha”, resumiu.

Post anterior

Músico itapirense é contemplado pelo ProAC

Próximo post

Quiosques: três camelôs assinaram contrato de locação