Home»Cidade»Parada há cinco anos, obra é retomada no Canaã

Parada há cinco anos, obra é retomada no Canaã

Antes de iniciar a obra, a Secretaria de Obras promoveu a limpeza da área

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Foi retomada esta semana a obra do canal de águas pluviais que se estende pelos Jardins Santa Terezinha, Canaã e Vitória. A construção foi iniciada em 2010 e estava paralisada desde 2012 devido a problemas com a construtora. Desta vez, o serviço será realizado pela Construtora Tractor e foi orçado em R$ 844 mil, conforme nova licitação.

Os recursos financeiros são provenientes do Ministério das Cidades com contrapartida do município. A Construtora EBCI, contratada na primeira licitação, desistiu de continuar a obra sob a justificativa de que os preços estavam defasados. Para abrir nova licitação, a SOV (Secretaria de Obras e Viação) precisou abrir processo para rescindir o contrato original.

O responsável pela SOV, Salvador Franceli, explica que quase toda a extensão do canal receberá aduelas em concreto, o que vai facilitar o escoamento. Ele lembra que recentemente a SOV desassoreou o canal promovendo a limpeza em toda a extensão, mas novas intervenções às margens serão necessárias. Isto porque, há pessoas acumulando materiais recicláveis. “É uma área pública e vamos entrar com pedido de reintegração de posse”, pontuou.

A SOV também reconstruiu a passagem na Rua Antonio de Souza Gomes, entre o Canaã II e o Santa Terezinha. A tubulação de 1 metro de diâmetro foi substituída por outra de 1,5 metro. Resta apenas colocar a guia e sarjeta e pavimentar. “Na ocasião desta obra, eu já avisei a pessoa de que ela não poderia acumular materiais neste lugar”, recorda Franceli.

 canal canaa

PARA ENTENDER

A obra foi iniciada na gestão do prefeito Paulo Eduardo de Barros e desde o início apresentou problemas porque não havia recursos suficientes para ser feita. Com isto, foi paralisada desde 2010 e a SOV teve de reprogramar visando redução de custo. Todavia, a gestão de Walter Caveanha (PTB) também enfrentou o mesmo problema e ainda o fato de a empresa não ter usado material em conformidade com o projeto.

Post anterior

Itapira se prepara para o 5º Festival de Inverno

Próximo post

Monte Líbano começa a ganhar forma