Home»Destaque na Home»Palco dos Ingás: Calote a empresário é discutido na Câmara

Palco dos Ingás: Calote a empresário é discutido na Câmara

Empresário não recebeu o restante do valor da obra da cobertura do palco do Parque dos Ingás

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O empresário Marcos Antonio Gusmão, proprietário da empreiteira M.A. Gusmão, aguarda desde novembro o pagamento da última medição, quando entregou a cobertura do palco do Parque dos Ingás. “Ainda não recebi e minha situação financeira continua difícil por causa disso. O pior é que nem previsão a Prefeitura dá”, comentou o empresário à Gazeta, nesta semana.

Na última segunda-feira (18), durante sessão da Câmara, o assunto rendeu críticas e questionamentos para a Administração Municipal. “Qual é o motivo de a Prefeitura não ter efetuado o restante do pagamento para a empresa que fez a parte dela?”, questionou o vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD).

Para ele, a justificativa de que o município não recebeu o último repasse do Governo Federal não pode ser usada para dar calote no empresário. Um requerimento foi apresentado por Guilherme e aprovado pelos demais vereadores.  “A construtora fez contrato com a Prefeitura e não com o Governo Federal. Não é justo o empresário fazer a obra e ficar no prejuízo. É muita conversa mole”, ressaltou o vereador.

sessao de camara fabio luduvirgeO vereador Fábio Aparecido Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB) espera que o requerimento seja respondido pela Prefeitura, pois ele alega que muitos continuam sem resposta da Prefeitura. “É muita incompetência a Prefeitura não pagar uma obra que já foi entregue. Que esse requerimento tenha uma resposta que convença ou que a dívida seja paga”, destacou.

A empreiteira M.A. Gusmão venceu o processo licitatório para a cobertura do palco do Parque dos Ingás. Segundo o empresário, a última medição foi feita em novembro, quando a obra foi entregue, mas aguarda até agora o pagamento de pouco mais de R$ 23 mil. Além disso, o empresário também espera pela devolução da caução no valor de R$ 11 mil. “Pediram pressa para o início e fiz dentro do prazo. Já demorei para receber as outras parcelas e espero a última medição e a caução”, reclamou.

Para o presidente da Câmara, Rodrigo Falsetti (PTB), a falta de pagamento ao empresário deixa o município numa situação delicada e a mercê de empresas que não realizam um bom trabalho. “O que mais me chateia nessa situação é que o empresário é dá cidade. Ele cumpriu a parte dele e ficou no prejuízo. Por isso, que os empresários guaçuanos não participam e abrem espaço para esses picaretas que vencem licitação e não cumprem, como as creches do Chaparral e Guaçu Mirim”.

sessao decaâmara rodrigo falsetti

Obra

A obra foi iniciada no dia 21 de junho e feita com recursos de R$ 220,8 mil do Ministério do Turismo e a Prefeitura daria a contrapartida de R$ 2,4 mil. Além da cobertura, foram construídos dois sanitários e um espaço para camarim. Gusmão recebeu três repasses da Prefeitura, sendo os valores: R$ 54.018,03 (12 de dezembro), R$ 55.785,52 (3 de setembro) e R$ 74.000,00 (31 de outubro).

A Secretaria de Obras e Viação voltou a afirmar, via assessoria de imprensa, que o último repasse ainda não foi efetuado pelo Governo Federal. “A Prefeitura não pode quitar o débito com a empresa, porque a obra foi realizada com recursos do Governo Federal”.

Já sobre a caução, a assessoria informou que o pagamento será feito. A previsão é de que o valor seja liberado nos próximos dias.

Post anterior

Delegacia de Defesa da Mulher de Mogi Guaçu tem nova titular

Próximo post

Dengue: entrada em imóveis fechados começa na próxima semana