Home»Caderno C»“Os Terríveis”: Banda volta ao palco 50 anos depois

“Os Terríveis”: Banda volta ao palco 50 anos depois

7
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nostálgico. Esse será o clima do show da banda ‘Os Terríveis’, em comemoração aos 50 anos da primeira apresentação. Os rapazes, no auge dos 60 e 70 anos, estão empolgados não só com o show, mas também com a chance de vivenciarem novamente as mesmas emoções da juventude.

Aldomir Arenghi, Armando Moreli, Epaminondas Lima, José Roberto Valeriano e Vitor Milani subiram ao palco pela primeira vez em setembro de 1968, para animar um dos bailes do Clube 7. O nome da banda é uma homenagem aos ‘Incríveis’, banda de sucesso na década de 60 da qual eram fãs. Lembrando que outros integrantes fizeram parte da primeira formação – José Luis Soares, João Batista Lucas e Ademir Vedovello.

Em total alto astral, eles disseram que já não são tão novinhos assim para esperar setembro chegar e, por isso, anteciparam as comemorações dos 50 anos da banda. O quinteto tem ensaiado há cerca de dois anos e chegou a hora de reunir os fãs daquela época.

banda os terriveisA volta de ‘Os Terríveis’ está marcada para o dia 20 de abril, no Clube 7. Um show comemorativo para cerca de 200 pessoas. A ideia surgiu em 2015 após o reencontro dos músicos produzido pela Gazeta durante reportagem sobre os 50 anos da Jovem Guarda. Naquela ocasião, eles relembraram que eram fãs dos cantores e se reuniam para cantar como forma de diversão até que começaram a se apresentar nas festas paroquianas e depois para muitos clubes da cidade e da região.

Moreli conta que depois daquele dia da entrevista veio à vontade de tocarem de novo. E a partir daquele encontro a paixão pelas músicas da Jovem Guarda tocou esses jovens senhores. Os encontros ocorriam duas vezes por mês em um estúdio da cidade. A princípio, Aldomir Arenghi não participava. Até que um dia foi ver os amigos ensaiando e ele conta, com olhos marejados, que se emocionou tanto que não deixou mais de participar dos ensaios. Foi surgindo a ideia do show comemorativo e passaram a ensaiar a cada 10 dias. Eles deram uma palhinha aos parentes e amigos no aniversário de 90 anos da mãe de Arenghi e nos 70 anos de Moreli.

Apenas Arenghi e Valeriano não seguiram carreira musical. O último show deles foi no Carnaval de 1972. Os demais formaram suas famílias e vivem da música até hoje. No ano passado, Moreli e a esposa construíram um pequeno estúdio no quintal e vez por outra Rita Moreli era chamada para fazer um refrão, dar uma ajuda no vocal. E não deu outra, entrou para a banda. Ela lembra que em uma das formações de ‘Os Terríveis’ a garota papo firme era Iara, recém-chegada do Rio de Janeiro e que morava em Mogi Mirim.

Eles ensaiam em meio a muita animação. São as brincadeiras da época, alguns fatos que relembram e muitas vezes não conseguem ensaiar uma música inteira porque um acorde lembra outra melodia e já mudam a partitura. Aí eles caem na risada. São quase dois anos de ensaio e eles olham um para o outro e nem acreditam que 50 anos depois estão juntos novamente. ‘Os Incríveis’ separaram um repertório com 60 músicas, caso os fãs peçam alguma música do fundo do baú. E embora não planejam retomar a carreira da banda, não dispensam novas apresentações. Ingressos estão à venda com os músicos. A renda será revertida para a Santa Casa de Misericórdia.

banda os terriveis

 

Post anterior

9 de abril: desfile cívico-militar marca o dia da cidade

Próximo post

Desfile marca aniversário da cidade