Home»Artigos»Os benefícios da terapia assistida por animais para as crianças

Os benefícios da terapia assistida por animais para as crianças

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

É muito comum encontrar nos lares brasileiros a presença dos pets, entre eles cães, gatos, aves ornamentais, entre outros. Um estudo divulgado pelo IBGE aponta que os cães estão no topo da lista, sendo encontrado em 44,3% dos domicílios brasileiros. Esse dado nos mostra que a relação entre humanos e os cães é significativamente presente no cotidiano das pessoas.

Esse contato permeado pela busca de benefícios dos humanos é apontado por estudos desde o período neolítico. Já no tocante a essa relação na saúde mental, em data bem mais recente, na década de 50, no Rio de Janeiro a psiquiatra brasileira Nise da Silveira, inseriu no hospital psiquiátrico em que trabalhava cães de rua e passou a notar uma melhora no comportamento dos residentes. Desde então os animais sendo vistos como co-terapeutas passaram a serem encontrados em alas de hospitais, asilos para idosos, escolas, creches e consultórios do Brasil.

Assim surgem e se espalham pelo país as Intervenções Assistidas por Animais-IAA, as quais podem ser na modalidade de Educação Assistida por Animais-EAA quando tem contexto pedagógico; Atividade Assistida por Animais-AAA quando o propósito é de levar um conforto aos assistidos e a Terapia Assistida por Animais-TAA a qual deve ter objetivos prévios, ser organizada, supervisionada e avaliada por um profissional da saúde. Entre os animais mais utilizados nas ações de TAA o que mais é encontrado é o cão, realidade que pode ser contextualizada pelo estudo do IBGE, ou seja, o cão está mais presente na vida das pessoas do que outras espécies. Os públicos que se beneficiam dessas ações são os mais variados e não há restrições, exceto com relação as particularidades de cada pessoa, o que deve ser avaliado pelos profissionais envolvidos, como por exemplo, medo de animais, quadros alérgicos, restrições médicas e qualquer outra especificidade que surgir, por isso é indispensável a presença de um profissional da saúde qualificado para conduzir tais ações e zelar pela integridade dos envolvidos.

O público infantil tem relativo destaque nos benefícios da TAA e já existem inúmeros estudos debruçados nos efeitos positivos que ela propicia às crianças, como promoção da interação social, desenvolvimento físico, psíquico e cognitivo, além de favorecer o desenvolvimento educacional, propiciar relaxamento, sensação de bem-estar, diminuição da pressão arterial, inibição da dor, aumento da comunicação e sensação de segurança, estimula a memória, contribui ainda para recuperação da autoestima, da motivação e da confiança.

A ciência tem se interessado cada dia mais por essa temática e há muitos estudos voltados para crianças com Transtorno do Espectro Autista, Síndrome de Down, Paralisia Cerebral, Distúrbios de Comportamento entre outros além das mais variadas formas de aplicabilidade desse recurso de acordo com cada uma das demandas e exigências do caso.

Por fim uma coisa é certa as evidências positivas surgem ao passo que as práticas são bem aplicadas e mediadas por um profissional qualificado, portanto qualquer intervenção a ser realizada nos campos das Terapias Assistidas por Animais deve ser sempre por profissionais da saúde preparados para tal, o qual deve oferecer um ambiente controlado, recursos seguros e adequados para aplicação além é claro de contar com um cão preparado para essas práticas e com todos seus critérios de saúde em dia e atestado por um médico veterinário.

 

Geize C. S. Guimarães é psicóloga clínica na cidade de Mogi Guaçu CRP- 06/131160, há dois anos realiza ações de atividades assistidas por animais na cidade de São Paulo e possui treinamentos em Intervenções Assistidas por Animais. E-mail: geize.psicologa@hotmail.com

 

Post anterior

Parte dos inscritos em cursos não comparece às aulas

Próximo post

Amador: Itaqui se isola na liderança da 1ª Divisão