Home»Destaque na Home»Ocorrências de furto e roubo são maioria

Ocorrências de furto e roubo são maioria

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Quantas pessoas foram abordadas e quantas foram presas? Qual o número de furto e roubo de veículos?  Essas e outras informações foram repassadas pelo comandante da Companhia da PM de Mogi Guaçu, capitão Eduardo Jorge Marques, em audiência pública realizada na última quarta-feira (19).

Nos três primeiros meses do ano, por exemplo, foram 132 ocorrências de roubo e de abril a junho foram mais 134. “Mas 60% desses roubos são de aparelhos celulares. Esse tem sido um problema grande e percebemos que as pessoas andam com o celular na mão, distraídas nas redes sociais. Geralmente, os criminosos se aproximam e usam um simulacro de arma de fogo, uma faca ou força física para praticarem o roubo”, ressaltou o capitão.

Capitão Marques
Capitão Marques

Marques também apontou que as demais ocorrências de roubo são referente a ‘saidinha de banco’ e de residência. No caso de roubo a residência, observou-se que as abordagens ocorrem quando os moradores estão entrando ou saindo do imóvel. “Em alguns casos as pessoas acordam e se deparam com o criminoso no quintal. A nossa orientação é para que tentem equipar a casa com muro, cerca ou alarmes”, pontuou o capitão sobre a necessidade do cidadão também proteger seu patrimônio e estar mais atento.

 

Veículos

Na estatística apresentada foram 32 veículos roubados (mediante ameaça) nos primeiro seis meses do ano, somente registrados pela Polícia Militar. Referente a furto de veículos (quando não há ameaça) foram 105 nos primeiros três meses e 114 de abril a junho. “O furto está atrelado, em muitos casos, a falta de zelo do proprietário, porque o ladrão procura facilidade. Durante o patrulhamento observamos muitos veículos abertos com chave no contato e, em um dos casos, a proprietária deixou o vidro aberto para o cão respirar e quando voltou ao veículo encontrou um morador de rua dentro”.

Em uma avaliação pessimista, o capitão aponta a tendência da modalidade de crime contra o patrimônio (casa e veículos) aumentar.  “Há uma relação entre crise e crescimento desses crimes. Há também a migração para nossa cidade porque outros municípios já estão implantando as ‘muralhas eletrônicas’, que são os videomonitoramento, radares inteligentes em avenidas e nas principais entradas e saídas das cidades. Isso ajudaria bastante”.

capitao marques audiencia publica policia militar

O veículo mais visado pelos criminosos ainda é a motocicleta. “Muitos estão relacionados a adolescentes que furtam para ‘locar’ para outros realizarem delitos, o que aumenta a estatística. Apesar de que também temos recuperados muitos desses veículos”, comentou. Outro ponto negativo no combate ao crime percebido pelos policiais é a sensação de impunidade, uma vez que a lei permite em alguns casos, como no de furto, posse ou porte de algumas armas, que haja o pagamento de fiança e a responsabilização criminal por meio de processo na Justiça.

Para combater o crescimento do crime envolvendo adolescentes, a Polícia Militar tem desenvolvido programas de prevenção como o Proerd (Programa de Resistência às Drogas) que hoje atende 900 alunos em 16 escolas do município. “Uma vez que a maioria dos delitos está relacionada direta ou indiretamente com as drogas”, pontuou capitão Marques. Policiais também visitam escolas, a pedido da direção, para palestras sobre trânsito e dicas de segurança como “Vizinho Solidário”.

capitao marques audiencia publica policia militar

Defasagem

Diante de tantas demandas, o capitão da Companhia da PM de Mogi Guaçu lembrou que o município é maior que Ribeirão Preto e Campinas em extensão territorial, e que o combate ao crime tem sido feito com apoio de outras instituições da própria PM, como Força Tática/ROCAM (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) e da Guarda Civil Municipal. Considerando o número total de policiais no Estado, a média é de um PM para cada mil pessoas.

Capitão Marques lamentou a falta de interesse da comunidade que não compareceu à audiência. “Nosso objetivo é de prestar contas e criar uma oportunidade de aproximação com a sociedade, mostrar o serviço da PM e o compromisso dos policiais em trabalhar na cidade. O problema da segurança não é só da PM, são de vários órgãos. Atuamos em consequência de famílias desestruturadas que reflete na escola e na sociedade”.

Estiveram presentes na audiência representantes do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) e da Guarda Civil. Foram também convidados os vereadores, a Associação Comercial e Industrial, o gabinete do prefeito Walter Caveanha (PTB), as Secretarias de Educação e Cultura, além da Justiça local e a Polícia Civil. A próxima audiência está marcada para o dia 4 de outubro, às 18h30, na Sala de Vídeo do Centro Cultural.

 

Produtividade Companhia Mogi Guaçu (janeiro a junho)

1.338 Boletins de Ocorrência elaborados

14.446 pessoas fiscalizadas/abordadas

4.504 carros fiscalizados

3.331 motocicletas fiscalizadas

148 presos em flagrante

23 adolescentes apreendidos em ato infracional

8 armas apreendidas

46 capturas de foragidos

214 escoltas emergencias a presas da penitenciária feminina

 

 Produtividade de Apoio da Companhia Força Tática/ROCAM (janeiro a junho)

110 Boletins de Ocorrência

3.141 pessoas fiscalizadas/abordadas

1060 carros fiscalizados

159 motocicletas fiscalizadas

49 presos em flagrante

3 adolescentes apreendidos em ato infracional

2 armas apreendidas

19 capturas de foragidos

 

Post anterior

W.O. elimina o Jardim Pansani do Amador

Próximo post

Curtas: Queimadura, casos de furtos e incêndio