Home»Destaque na Home»Moradores do Santa Cruz tem casas apedrejadas

Moradores do Santa Cruz tem casas apedrejadas

Câmeras de segurança das residências já flagraram as ações dos vândalos; presidente do Conseg faz orientação

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

“Aos finais de semana e feriado parece que abrem a porta do inferno”. Esse foi um desabado de uma moradora do Jardim Santa Cruz. Ela conta que nesses dias jovens ficam circulando pelo bairro praticando vandalismo como pichação de imóveis e apedrejamento. Segundo ela, após as pedras, talvez na intenção de ver se há moradores na casa, seguem os furtos. Por isso, a moradora pede mais patrulhamento no bairro.

O comandante operacional da Guarda Civil, Claudemir Adorno da Costa, informou que houve uma intensificação de patrulhamento nos bairros daquela região desde a inauguração das 1.400 moradias do Residencial Ypê Amarelo, em janeiro. “Porque mudaram para lá mais de cinco mil pessoas e com isso há a necessidade do patrulhamento, mas nossas ligações ao Disque 153 são monitoradas e recentemente não houve qualquer solicitação de patrulhamento no bairro em relação a vandalismo ou crimes. Desconheço esses fatos e oriento a ligarem para a Guarda no 153 ou 3811-8900”, explicou Adorno.

Adriano
Adriano

Na Polícia Militar também não há registros de ocorrências de furtos ou roubos a residência nos últimos meses nem chamados de viaturas. Sem esses registros formais de ocorrência ou ligações ao Disque 190, é impossível que haja um redirecionamento de apoio das viaturas onde há maior incidência de crime.

Apesar de não haver o registro de ocorrências, câmeras de segurança das residências já flagraram as ações dos vândalos, inclusive com a participação de menores de idade. 

Conseg

O presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), Adriano Aparecido da Mata, foi com a Gazeta até o bairro para orientar melhor os moradores. Por lá, viu nos postes placas de monitoramento indicando a prática ‘Vizinho Solidário’, na qual os vizinhos se comunicam sobre atitudes suspeitas. “Já que eles estão mobilizados peço que venham participar das reuniões do Conseg onde poderão relatar os problemas diretamente às autoridades de segurança e vamos reforçar as orientações do programa ‘Vizinho Solidário’, como aconteceu no Parque dos Eucaliptos.

Lá, os moradores criaram um grupo de WhatsApp e com as orientações recebidas no Conseg com a polícia houve a redução nos índices criminais”, contou Adriano da Mata. Com a participação ativa dos moradores no Conseg será possível, segundo o presidente, criar um núcleo no bairro nomeando um morador como representante.

reclamacao santa cruzreclamacao santa cruz

Post anterior

2ª rodada da 3ª Divisão é neste domingo

Próximo post

Tempo seco: o inimigo das vias respiratórias