Home»Destaque na Home»Mogimiriano tenta traficar durante ‘Parada LGBT’

Mogimiriano tenta traficar durante ‘Parada LGBT’

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Viaturas da Guarda Civil Municipal acompanharam o percurso da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) para dar segurança ao evento público. Durante o acompanhamento, quando os integrantes do movimento chegaram ao Parque dos Ingás, os guardas perceberam o nervosismo de um jovem.

Os guardas Ralph e Thiago, do Canil da Guarda, tentaram se aproximar e Rafael Luís Malta, 24 anos, tentou fugir entrando no meio da multidão. Ele acabou sendo abordado e dentro do boné, os guardas encontraram 30 pinos com cocaína e 17 porções de maconha.

Malta, morador de Mogi Mirim, assumiu informalmente que o entorpecente era para venda. Ele foi levado para a Central de Polícia Judiciária, onde o delegado Dalton David Ferreira determinou a prisão em flagrante por Tráfico até ser ouvido em audiência de custódia na Vara Criminal.  O evento foi realizado na tarde de domingo (17).

 

Mais drogas

Ainda pela manhã de domingo, os guardas Anselmo e Da Silva conseguiram deter um rapaz de 21 anos que estava traficando perto de uma área verde do bairro Ypê Pinheiros. Com ele havia R$ 20 e nove tubetes com cocaína. Os guardas chegaram ao local após uma denúncia ser feita ao Cecom (Centro de Comunicação da Guarda). A droga estava em um cano de esgoto e ele contou que a cada dez entorpecentes vendidos ele ganhava um.

Um dia antes, no mesmo local, guardas civis da ROMU (Ronda Ostensiva Municipal) detiveram um adolescente de 16 anos. Os guardas Fernandes, Gonçalves, Garcia e Carlos Borges estavam patrulhando o bairro e suspeitaram do garoto mexendo em uma árvore. Ao avistar a viatura se aproximando, ele tentou sair do local. Durante a revista ele tinha na mão e no bolso, a quantia de R$ 40. Ao revistarem o local em que estava, havia uma sacola enterrada contendo maconha (25 porções) e cocaína (21 pinos).

preso trafico droga ipe pinheiros

A mãe do adolescente foi avisa e lamentou a apreensão do filho. Desabafou. Disse que já tentou o que estava ao seu alcance para ajudar o filho, mas que ele não a respeita. Alegou que trabalha para não falta nada ao adolescente. Mas que ele se desviou da boa conduta devido às más companhias. O delegado Paulo Agostinete determinou a apreensão do menor até seu ouvido em audiência na Vara da Infância e Juventude.

Post anterior

Idoso é atropelado na Vila São Carlos

Próximo post

Parada Gay: evento supera expectativas da organização