Home»Polícia»Mogi Mirim implanta Casa Lar para atender menores

Mogi Mirim implanta Casa Lar para atender menores

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Por Lúcia Ribeiro 

Os cuidados com as crianças e adolescentes avançam em Mogi Mirim com a implantação de mais um projeto instituído pela Secretaria de Assistência Social: o serviço de acolhimento institucional na modalidade Casa Lar. A iniciativa, executada em parceria com a organização da sociedade civil “Lar Nova Vida”, de Araras, é uma nova ação da política de assistência social, efetivada através de chamamento público, conforme previsto pela legislação do MROSC (Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil).

No local deverá permanecer um educador residente, em período integral. “Esta modalidade permite uma referência para os acolhidos, por ter residência no local”, explica a secretária da pasta, Leila Iazzetta. Já durante o dia, as atividades e acompanhamentos serão coordenados por uma equipe técnica, formada por coordenador, psicólogo, assistente social e auxiliares de educadores.

Em funcionamento desde o dia 17 no bairro Saúde, a infraestrutura da residência disponibiliza ampla acomodação composta por área para os atendimentos, além de quartos, refeitório, banheiros, sala de TV e lavanderia mobiliadas para acomodar as crianças e adolescentes que receberam a aplicação da medida protetiva de acolhimento institucional pela Vara da Infância e Juventude, em acordo com o Eca (Estatuto da Criança e do Adolescente).

“O serviço ofertado atende modalidade de acolhimento, diferente daquela que já temos em Mogi Mirim, e aumenta o número de vagas disponíveis, considerando a demanda atual do município”, declarou. No município, o programa deverá beneficiar até 10 pessoas.

Leila explica que há diferenças entre Abrigo Institucional e Casa Lar, embora a finalidade seja a mesma, ou seja, acolher crianças e adolescentes, 24 horas, sem interrupção até que a situação que originou o acolhimento seja solucionada. A principal diferença é que a Casa Lar tem um educador residente, ou seja, há uma figura de referência que mora na casa e a rotina é partilhada por todos, como em um ambiente familiar. Os recursos para financiar o serviço são do município. (LR com informações da Secretaria de Relações Institucionais de Mogi Mirim).

Previous post

Artigo: Aquele da lua e dos amigos

Next post

Viadutos serão entregues em 14 meses