Home»Destaque na Home»Merenda: Grupo vai acionar Ministério Público

Merenda: Grupo vai acionar Ministério Público

Fotos da merenda servida e de um saco cheio de espinhas foram anexados ao documento

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Será entregue nesta quinta-feira (7), no Ministério Público, o relatório produzido por um grupo de pais sobre a situação da merenda escolar da rede municipal de ensino. O objetivo é solicitar que o MP dê início a uma investigação que apure os responsáveis pela falta de produtos na merenda.

No relatório constará o nome das escolas e os produtos que estão faltando. “Também temos mais de 200 assinaturas de pais que pedem essa investigação. A merenda escolar ainda não voltou ao normal. São muitos os problemas encontrados nas escolas, desde a falta de produtos a utensílios velhos que estão sendo usados no preparo dos alimentos”, contou a conselheira da Educação, Rosana Aparecida Franco.

A Gazeta falou com alguns pais na última semana e eles disseram que têm acompanhado o cardápio das escolas dos filhos. Eles informaram que a chegada do frango e do peixe não normalizou a situação da merenda escolar. Na semana passada, o cardápio de algumas escolas contou com mais legumes do que qualquer outra proteína. “Olha, meu filho teve uma vez frango. O restante foi sopa, legumes e arroz e pepino. Ou seja, não foi nada normalizado como tem dito a secretária de Educação”, contou um pai.

merenda escolarDe acordo com os pais, não é só a carne de vaca e de porco que está em falta nas escolas. Segundo eles, falta feijão, produtos de limpeza e ainda papel higiênico. “São legumes que chegam estragados e pouco pode ser aproveitado, é achocolatado que acaba e demora pra chegar outro. O frango já acabou em algumas escolas. O que será servido na próxima semana (essa semana)”, questionou Rosana.

A conselheira disse que fotos com os pratos servidos nas escolas também constam do relatório que será levado na próxima semana ao MP, inclusive com as espinhas do peixe que foi deixado nas escolas. “Era um peixe com tanto espinha que dava medo de ver”.

Os peixes, segundo confirmação da própria Prefeitura, foram retirados pela empresa responsável no início dessa semana. A situação já havia sido denunciada por alguns vereadores no último dia 22, quando o produto começou a chegar nas escolas.

Post anterior

SOV planeja fazer tapa-buraco em rodovia vicinal

Próximo post

Nico Lanzi: Com via totalmente interditada tem início obra de infraestrutura