Home»Destaque na Home»Merenda: Ela assumiu a responsabilidade, diz pastor Elias

Merenda: Ela assumiu a responsabilidade, diz pastor Elias

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O vereador Elias dos Santos, o pastor Elias (PSC) revelou que o prefeito Walter Caveanha (PTB) recebeu alguns vereadores em seu gabinete na última segunda-feira (25), além da secretária de Educação, Célia Mamede. Além dele, participaram os vereadores Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), Jéferson Luís da Silva (PROS), Luciano Firmino Vieira (PP), Luís Zanco Neto (PTC) e Thomaz Caveanha (PTB). Os demais vereadores não foram convidados.

“A colocação do prefeito foi incisiva que o que aconteceu não pode acontecer e a Célia assumiu o erro de gestão. Ela deu a palavra que não vai mais errar”, revelou o vereador.

Pastor Elias contou que os vereadores presentes na reunião cobraram a secretária de Educação e comentaram sobre as várias cobranças que estão recebendo nas ruas. “O Chicão disse para eles que nós estamos sendo cobrados e que aqui não existe um Legislativo dividido e que as cobranças vão continuar”.

Para os pais presentes na Câmara, pastor Elias disse que o prefeito mostrou-se preocupado com a situação e cobrou a secretária de Educação durante a reunião com os vereadores. “O prefeito repetiu muita vezes que faltou gestão e que essa situação não poderia ter acontecido”.

Jéferson Luís ressaltou que as cobranças em cima da Secretaria de Educação vão continuar, principalmente as visitas feitas nas escolas. “Agora é hora de cobrar o que a secretária está dizendo que vai ter nas escolas”.

Vale ressaltar que os demais vereadores não foram convidados para participar da reunião com o prefeito. Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Falsetti (PTB), enviou ofício pedindo uma reunião com o chefe do Executivo com todos os vereadores para que a falta de carne fosse discutida, mas não houve resposta.

 

Culpa

A informação repassada pelos pais presentes na Câmara de que a secretária de Educação culpa os vereadores pela situação não foi bem digerida pelos edis. De acordo com os pais, a secretária afirmou que os vereadores estão fazendo politicagem em cima do assunto. “A falta de carne já é grave e colocar a população contra o parlamento é grave também. Somos legisladores e isso é um desacato com essa Casa”, comentou o vereador Jéferson Luís.

Os vereadores aguardam um posicionamento da secretária de Educação sobre a convocação feita para que ela compareça na Câmara. A convocação tem que ser atendida até o dia 11 de março. “Ela é obrigada a vir e se não vier vamos tomar as medidas legais”, ressaltou o presidente da Câmara.

A Gazeta solicitou informações para a assessoria de imprensa da Prefeitura sobre a convocação da secretária de Educação e a resposta foi que o assunto será divulgado pelo gabinete do prefeito.

Post anterior

Tome Nota da edição de sábado, dia 2

Próximo post

Dificuldade em licitação atrasa entrega de proteínas