Home»Caderno Multi»Material escolar: É hora de abastecer as mochilas escolares!

Material escolar: É hora de abastecer as mochilas escolares!

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

As papelarias estão com o estoque em dia para a volta às aulas. É chegada a hora de abastecer as mochilas escolares. Há quem já tenha feito isso no final de 2018, assim que recebeu a lista de materiais da escola. Neste caso, os donos de papelaria afirmam que antecipar as compras garante comodidade porque não há alteração de preço.

Isto porque, as compras para o ano letivo de 2019 foram feitas no início do segundo semestre de 2018, o que, segundo eles, garante a variedade do que oferecem ao cliente.

REAPROVEITAMENTO

Juliana checa sobra de materiais

Ao fim de cada ano letivo, Juliana Campos checa os itens que sobraram na mochila do filho João, 13 anos. O hábito garante uma economia na compra todos os anos. E o filho não faz cara feia, não. Isto porque, o acordo é que a economia no material escolar garante “aquele” presente de Natal.

Ao lado do filho João, Juliana antecipou as compras
Ao lado do filho João, Juliana antecipou as compras

E Juliana não é dessas de deixar as coisas para última hora. Ela fez as compras do material escolar no último dia 17 de dezembro. Aliás, no mesmo dia em que pegou a lista na escola. Assim, checou o que tinha, cortou itens e foi às compras.

O filho foi junto comprar os materiais, mas não é destes de exigir todas as capas de cadernos com personagens. Ele mescla as unidades, comprando algumas capas mais caras e outras mais em conta. João aceita numa boa as orientações da mãe. “Não me importo”, reforça o adolescente.

Matriculado no 9º ano, a mãe conta que sempre fizeram este acordo e nunca houve problemas. “Assim, a gente economiza aqui (material) e gasta mais com o presente de Natal”, justifica Juliana que tem apenas João em idade escolar.

PREÇO ESTÁVEL

Lojista diz que preços se mantiveram estáveis

Ao contrário do observado nos anos de 2016 e 2017, os valores dos materiais se mantiveram estáveis. É o que observa o proprietário da Papelaria Lipel, Gilberto Cândido Diniz. Com as compras realizadas em junho de 2018, o estoque estava em dia no mês de novembro. Este planejamento garante a quantidade e a variedade de produtos necessários para atender à clientela.

Gilberto conta que planejamento garante quantidade de produtos
Gilberto conta que planejamento garante quantidade de produtos

“Nesta época do ano, a gente compra um ou outro item que sai do convencional, por exemplo, pena colorida ou prendedor de roupa. No mais, tudo tem que estar comprado porque as listas já foram entregues e tem quem se antecipe bastante”, comenta em entrevista concedida no início da segunda quinzena de dezembro.

Os cadernos seguem sendo os destaques das prateleiras. E a variedade é imensa, seja para agradar os meninos e as meninas. “Calculo que tem mais de 60 modelos de capas para meninos e mais de 100 para meninas”, estima Gilberto.

As novidades deste ano para as meninas são as capas com a LOL (boneca) ou outras com desenhos não licenciados, como os flamingos e lhamas. Para os meninos, Patrulha Canina e outras ilustrações baseadas em games são as opções principais.

NOVIDADES

Lançamentos com preços atrativos

Não são apenas as capas de games que atraem a indústria de cadernos. Antenados com as tendências do mundo teen, os fabricantes apostaram em lançamentos de novas linhas com desenhos de flamingo e lhama, entre outras. “A Tilibra tem as linhas Blink e Aloha que têm saído muito bem”, adianta o gerente da Papelaria Abecedarium, José de Almeida.

multi papaelaria abecedarium venda material escolaE as tendências não param nos cadernos. Elas invadem os lápis de colorir, as canetas marcadoras de textos, as borrachas, entre alguns das dezenas de itens comercializados. “Estes tons pastéis chegaram com tudo”, comenta Almeida sobre as tonalidades mais claras de cores que fazem a cabeça das meninas: rosa, azul e amarelo.

O gerente também mostra que uma fabricante de lápis de colorir lançou seis cores em tons de pele. “São três unidades com pontas duplas”, explica. Esta mesma empresa de renome no mercado também lançou uma linha de caderno. A novidade é que a capa é desenhada pelo aluno. Isto porque, a capa dura vem com material transparente, sendo a primeira folha em branco. “Nesta folha, o aluno desenha e faz a sua capa”, detalha Almeida.

Segundo ele, as novidades não implicam em preço mais alto. Pelo contrário, os cadernos têm valores bem atrativos.

PROCON

Veja seus direitos e dicas para ir às compras do material escolar

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, informa os direitos e traz recomendações importantes para auxiliar aos pais na aquisição do material escolar.

De acordo com a Lei 12.886/2013 não pode ser incluso na lista os materiais de uso coletivo, higiene e limpeza ou taxas para suprir despesas com água, luz, telefone, impressão e fotocópia.

multi papaelaria abecedarium venda material escolaA escola também não pode exigir que os pais comprem o material no próprio estabelecimento e nem determinar as marcas e locais de compra, somente quando o material didático utilizado for apostilas. 

Também é considerada abusiva a cobrança da taxa de material escolar sem a apresentação de uma lista. A escola é obrigada a informar quais itens devem ser adquiridos.

A opção entre comprar os produtos solicitados ou pagar pelo pacote oferecido pela instituição de ensino é sempre do consumidor. É importante pesquisar em vários estabelecimentos, porque a diferença de preços costuma ser grande. Além disso, verifique se é possível aproveitar alguns itens do ano anterior e faça as compras em grupo, o que pode garantir descontos vantajosos.

 

EMBALAGENS E MARCAS

– Nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade ou o mais adequado. Evite comprar materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, porque, geralmente, os preços são mais elevados.

 

– Materiais como colas, tintas, pincéis atômicos, fitas adesivas, entre outros, devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

 

OUTROS CUIDADOS

– A nota fiscal deve ser fornecida pelo vendedor. Em caso de problemas com a mercadoria é necessário apresentá-la, portanto, exija sempre este documento. Ao recebê-la, cheque se os produtos estão devidamente descritos e recuse quando estiverem relacionados apenas os códigos dos itens, o que dificulta a identificação. 

 

– Se os produtos adquiridos apresentarem algum problema, mesmo que estes sejam importados, o consumidor tem seus direitos resguardados pelo Código de Defesa do Consumidor. Os prazos para reclamar são: 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis (no caso de vícios aparentes).

 

– Compras em ambulantes e camelôs devem ser evitadas. Apesar de o preço ser mais em conta, eles não fornecem nota fiscal, o que pode dificultar a troca ou assistência do produto, se houver necessidade.

multi lipel papelaria venda material escolar

Post anterior

Franco Montoro: Aberto processo seletivo de provas e títulos

Próximo post

Tome Nota da edição de sábado, dia 5