Home»Cidade»Lojista reclama de falta de segurança no ‘Recanto’

Lojista reclama de falta de segurança no ‘Recanto’

Proprietária tem recebido bilhetes do vigilante noturno

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Falta de segurança. Esta é a queixa da proprietária de uma loja na Praça Rui Barbosa, o Recanto, que já teve o estabelecimento pichado por várias vezes desde a instalação. “Faz três anos que estamos aqui e este e outros problemas vem acontecendo”, diz, Aurilene Estrela. Na manhã de ontem (14), quando chegou para abrir o estabelecimento, ela deparou-se com as portas e paredes pichadas novamente.

A proprietária desconfia que a origem do problema esteja no fato de não pagar por serviço de vigilante noturno. Isto porque, já recebeu bilhetes, que considera intimidadores por não aceitar tal serviço. “Foi mais de um bilhete e em um deles fala que o alarme disparou e a empresa de monitoramento não apareceu. Mas isto não aconteceu, ou seja, uma tentativa de denegrir até a imagem da empresa de segurança”, comenta.

Reclamação Loja Pichação Praça CentroAurilene conta que na semana passada, a entrada da loja amanheceu suja de sorvete. “Jogaram de propósito”, enfatiza. Outro problema ocorrido, segundo ela, é a retirada das placas que identificam que o local é protegido por alarme. “Já é a segunda placa que colocam e, mais uma vez, estão tentando arrancar”, diz.

Quanto aos bilhetes, ela conta que são deixados sob a porta e trazem até mesmo o número de contato telefônico para o serviço de vigilância. Ela desconfia de que há alguma ligação com a situação porque as demais lojas nada sofreram. Aurilene cobra mais policiamento no Recanto. O caso foi registrado em B.O. (Boletim de Ocorrência) pela GCM (Guarda Civil Municipal).

 

SEGURANÇA

A secretária de Segurança Pública, Judite de Oliveira, disse que, de fato, a GCM (Guarda Civil Municipal) esteve no local e vai reforçar o policiamento na Praça Rui Barbosa, o Recanto. Além disso, irá averiguar a desconfiança da comerciante sobre a questão da vigilância noturna. Judite lembra que este serviço não é regulamentado. “Já houve outra reclamação semelhante de um comerciante”, adianta.

 

Reclamação Loja Pichação Praça Centro

Post anterior

Tatiane Chaves está desaparecida há 1 ano

Próximo post

Apê do tráfico tinha até rádio na frequência policial