Home»Cidade»Laudo aponta que alicerce pode ser aproveitado

Laudo aponta que alicerce pode ser aproveitado

Vistoria na fundação foi realizada há quase um mês; licitação será aberta para reconstrução

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Após quase 30 dias, a SOV (Secretaria de Obras e Viação) recebeu o laudo da vistoria feita na fundação da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), no Jardim Santa Marta. O trabalho foi realizado pela Pedro Negri Engenharia Ltda, empresa contratada pela Prefeitura, e aponta que o alicerce pode ser aproveitado na reconstrução do imóvel. O documento foi entregue ontem (14) ao responsável pela Pasta, Salvador Franceli. O serviço de vistoria custou R$ 7 mil, incluindo o cálculo da estrutura metálica e o projeto da fundação.

De posse do laudo, o secretário adianta que dará continuidade ao orçamento para a reconstrução para que seja iniciada a licitação. Franceli calcula que, após concluir o orçamento, o processo licitatório seja de 60 dias. Ou seja, a reconstrução deve começar apenas no fim do ano. “Calculo que fique pronta entre agosto e setembro”, estima o secretário, referindo-se a 2016. Todavia, em entrevista coletiva na última semana, o prefeito Walter Caveanha (PTB) disse que a expectativa era de reinaugurar a UPA em de abril de 2016.

137_UpaA UPA tem projeto padrão que é enviado pelo Governo Federal, mas a SOV pretende fazer algumas adequações solicitadas pela secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho. As paredes feitas com drywall, por exemplo, não utilizaram o produto correto para uma construção destinada ao atendimento médico. Isto porque, o drywall usado não é lavável. O laudo aponta ainda a possibilidade de aproveitar parte da estrutura metálica do telhado.

Este é o segundo laudo técnico obtido pela Administração Municipal. O primeiro foi emitido pela perícia judicial, apontando o mesmo que a sindicância sobre o destelhamento da UPA, ou seja, que não havia fixação da estrutura do telhado. Os custos iniciais para a reconstrução são de R$ 600 a R$ 700 mil. Serão reaproveitados ainda outros materiais que foram retirados dos escombros pela equipe da Prefeitura, como peças sanitárias, material hidráulico, bancadas de mármore e granito.

A UPA foi destelhada em fevereiro de 2014, após vendaval arrancar a estrutura de ferro da cobertura. Desde então, os serviços deixaram de ser oferecidos no local, sendo o atendimento remanejado para o PPA (Posto de Pronto Atendimento), no Jardim Novo II.

Post anterior

PM da região tem novo comandante

Próximo post

GAZETA, 15 de setembro de 2015