Home»Esporte»Jogo no Furno define o grande campeão do Quarentão

Jogo no Furno define o grande campeão do Quarentão

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O Estádio “Carlos Nelson Bueno”, o Furno, é o palco escolhido para o duelo que irá definir o grande campeão do 15º Campeonato Municipal de Futebol Quarentão de 2018. A partida será disputada às 8h30.

De um lado, o técnico da Distribuidora Bassi, Matheus Silvério Oliveira, de 25 anos, que na temporada passada conquistou o título da competição com o time do Queijeiro. Do outro, o técnico do Paulista, André Luiz Vicente, o Dijúlio, de 43 anos.

Dentro das quatro linhas, uma rivalidade sadia de dois comandantes que buscam o título do Quarentão. Fora do ambiente de jogo, o respeito e a admiração de dois amantes do futebol.

Matheus Oliveira, filho de Enoch, uma das personalidades do futebol amador de Mogi Guaçu, admite que irá enfrentar uma das melhores equipes do Quarentão, mas a expectativa de assegurar o troféu de campeão é muito grande. “Não ficamos entre os dois melhores da primeira fase, mas no momento decisivo mostramos nossa força e união do time para conseguirmos chegar à final”, comenta o treinador do Bassi.

Matheus
Matheus

Em relação ao ponto forte do Bassi, Oliveira destaca uma defesa consistente e um time que joga junto há muito tempo. “Temos uma defesa sólida e que toma poucos gols, além de termos atletas que estão juntos no elenco há muito tempo. Tudo isso poderá ser um diferencial dentro de campo”, aponta.

Ao adversário, o Paulista, o treinador do Bassi prega muito respeito. “Eles – o Paulista – é um time com uma grande defesa e um grande ataque. Não podemos vacilar e precisamos anular as principais peças da equipe com uma marcação forte para conquistarmos o título do Quarentão”, encerra Oliveira.

Já para Dijúlio, técnico do Paulista, o duelo contra o Bassi prevê muito equilíbrio. “Espero um confronto muito disputado. São grandes equipes e, sobre o Bassi, não tenho muito o que falar: é uma grande equipe”, declara o treinador.

Já sobre o Paulista, o treinador aponta vários fatores para o bom desempenho no Quarentão e a consequente classificação para a grande final. “O que prevalece no Paulista é o conjunto, a união, o respeito e a atitude mais correta com o atleta. Estes fatores foram uma das chaves do sucesso da equipe para chegar à final”, enfatiza o comandante do Paulista.

O Paulista tem o artilheiro do Quarentão e a defesa menos vazada da competição, mas para Dijúlio, nada disso adiante se o título não for conquistado neste domingo no Furno.

“Ainda não ganhamos nada. Temos só o direito de disputar a final. Para mim já é muito importante, mas para coroar este trabalho, precisamos levantar o troféu de campeão. Vice nunca é lembrado”, exclama o treinador do Paulista.

Dijúlio
Dijúlio

CAMPANHAS

Para chegar à grande final, o Paulista, em oito jogos disputados, venceu seis, empatou um e foi derrotado em apenas uma oportunidade. O time marcou 14 gols e sofreu apenas quatro. Clodoaldo com cinco gols e Claudinei, com três, são os artilheiros da equipe no Quarentão.

Já o Bassi, em nove partida disputadas, venceu quatro, empatou quatro e foi derrotado em apenas um confronto. A equipe marcou 10 gols e sofreu apenas quatro. Osmir, Odair e Edgar, com dois gols cada, são os artilheiros do Bassi na competição.

As defesas menos vazadas do Quarentão são do Paulista e do Bassi, com apenas quatro gols sofridos cada uma.

Post anterior

Mogi Guaçu tem destaque no Cross Pira em Pirassununga

Próximo post

SP-342: Jovem de 24 anos morre ao cair embaixo de carreta