Home»Destaque na Home»Imperial: Moradores estão há dois meses sem respostas

Imperial: Moradores estão há dois meses sem respostas

Além do asfalto nas duas vias, os moradores reclamam da situação do mato alto no bairro

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nesta quinta-feira (18), completa dois meses que um grupo de moradores do Jardim Imperial se reuniu na Câmara com os vereadores e com o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli. À época, os moradores realizaram um abaixo-assinado solicitando melhorias no bairro. O assunto foi discutido durante uma reunião na Câmara no dia 18 de fevereiro e até agora os moradores aguardam pelas respostas referentes ao pedido de asfaltamento em duas vias e sobre o mato alto. “Não recebemos nenhuma resposta até agora nem da Prefeitura nem da Câmara. O mato continua alto aqui no bairro e nada do asfalto. Pelo jeito, isso vai longe”, comentou a moradora Darci da Silva Maia Martins, que pontuou que a coleta de lixo está sendo feita com regularidade no Jardim Imperial, assim como a linha do ônibus circular prometida na última reunião.

A principal reclamação do grupo é com relação à falta de asfaltamento na Avenida Gabriela Caruso Soares e na estrada municipal “Joaquina Maria de Arruda”, que dão acesso ao Jardim Imperial. Além dos vereadores, o secretário de Obras e o chefe de serviço da SSM (Secretaria de Serviços Municipais), José Maria Fagundes, também participaram da reunião e se comprometeram em responder aos moradores sobre as reivindicações. “Mando mensagem e fotos para o José Maria e ele nem responde. O mato aqui está de dar medo”, ressaltou Darci.

sessao de camara moradores imperialNo último dia 25, os vereadores aprovaram o envio de novo requerimento para a Prefeitura sobre o Jardim Imperial. O vereador Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), voltou a cobrar a Administração Municipal. “A loteadora publicou uma nota na Gazeta dizendo não ter mais responsabilidade pelo bairro. Então, estou novamente cobrando a Prefeitura sobre o Jardim Imperial, pois a Prefeitura liberou o valor da caução”, comentou.

A cobrança para que o loteador faça a pavimentação das vias de interligação do bairro são defendidas pelos vereadores, em especial Guilherme da Farmácia e Fábio Aparecido Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB). “O decreto que autorizou o loteamento é bem claro de que a responsabilidade pela pavimentação, guia e sarjetas em todos os acessos é do loteador. Esse é o terceiro requerimento que enviamos sem resposta satisfatória da Prefeitura”, afirmou Fabinho. 

Em nota, a Euroterra Empreendimentos Imobiliários Ltda., empresa loteadora, e sua parceira no empreendimento, Terra Boa Empreendimentos Imobiliários Ltda., ambas responsáveis pela implantação do Jardim Imperial, esclareceram que “seguiram fielmente o determinado no decreto municipal que autorizou o loteamento, executando todas as obras exigidas pelo município e demais órgãos competentes, não estando presente dentre estas obrigações o asfaltamento das vias mencionadas pelos moradores”.

Segundo a empresa, o termo de verificação de execução de recebimento de obras foi expedido em 7 de outubro de 2015, quando a Prefeitura atestou a conclusão de todas as obras determinadas.

estrada maria joaquina

Pavimentação

No dia da reunião, Salvador Franceli disse que a Prefeitura não tinha disponibilidade financeira para fazer a pavimentação das vias. “Vou voltar a cobrar o loteador e verificar se conseguimos um acordo e dou um retorno para vocês”, informou aos moradores.

A Gazeta voltou a questionar a Prefeitura e a informação é de que o município tenta parceria com o loteador. “O empreendedor executaria a base com guias, sarjetas e forneceria parte da massa asfáltica para a via entre o loteamento e o Distrito Industrial “João Batista Caruso”. A Prefeitura entraria com a outra parte da massa asfáltica e assumiria a obra na Estrada “Maria Joaquina””, ainda este ano. Segundo a Prefeitura, Salvador aguarda a resposta.

 

Limpeza

Sobre o mato alto nos terrenos particulares, o chefe de serviço da SSM (Secretaria de Serviços Municipais), José Maria Fagundes, disse que todos os proprietários já foram notificados e alguns multados. Segundo levantamento da Pasta, 44 multas foram expedidas esse ano no bairro e nova vistoria era prevista para essa semana.

Post anterior

Avó aguarda vaga em creche para dois netos

Próximo post

Postos: Governo quer ampliar o horário de funcionamento