Home»Destaque na Home»Idoso morre 14 dias após ser atropelado sobre faixa

Idoso morre 14 dias após ser atropelado sobre faixa

Família quer que Prefeitura tome providências para evitar que outros acidentes fatais aconteçam

2
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O aposentado César Batista dos Santos, 69 anos, foi sepultado no fim da tarde de sexta-feira (11). Ele faleceu na quinta-feira (10) após permanecer 14 dias internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa. Santos foi atropelado enquanto atravessava a Avenida dos Trabalhadores nas proximidades da ponte de ferro. No óbito consta traumatismo craniano e morte encefálica. Essa é a 9ª morte no trânsito, na zona urbana, registrada na cidade.

Na ocasião do atropelamento, ele foi socorrido sem documentos até a Santa Casa. A esposa Irene também passou mal porque aguardava na Santa Casa para realizar um exame e reconheceu o marido chegando no local.

Durante o tempo de internação, o aposentado continuava sedado. Segundo o filho Rogério Batista dos Santos, o estado agravou-se devido a um coágulo que pode ter se espalhado no cérebro, além da pneumonia que adquiriu com o passar dos dias de internação. “É duro ver um pai nessa situação. Ele nunca ficou internado”, disse Rogério em entrevista à Gazeta antes do falecimento do pai.

Ele e a irmã Juliana querem que a Prefeitura adote algumas medidas para reduzir os índices de acidentes naquela ponte. A primeira sugestão é a instalação de ‘tachões’ no trecho para que automaticamente os motoristas reduzam a velocidade. A segunda sugestão é transferir a faixa de pedestre mais distante da saída da ponte, a fim de dar mais tempo de parada aos veículos e travessia tranquila ao pedestre.

No momento em que a reportagem estava com Rogério próximo à ponte, travessias semelhantes como a que fez o pai dele também ocorreram – freadas bruscas e motociclistas tentando cortar a ‘frente’. “O condutor tem que saber que se um carro na frente para é porque alguém está passando, senão assume o risco”, argumenta Rogério.

 

Filho pede providências
Rogério pede providências

O aposentado deixou sua residência no Jardim Itamaraty, no último dia 28 de agosto, e estava atravessando a faixa de pedestre, empurrando a bicicleta, em direção ao Parque dos Ingás. O atropelamento ocorreu às 7h20. Os filhos o presentearam com um cavalo e ele ia cuidar do animal próximo à extinta Vila Champion.

No momento da travessia, o operador de máquina Fábio Augusto de Barros Neto, 19 anos, seguia em direção ao centro em sua Honda CG 150 Fan e tentou desviar de um caminhão que parou repentinamente e ao passar pela esquerda do veículo, não viu o aposentado e acabou atingindo-o e o derrubando ao solo.

O secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, informou que não pode instalar tachões porque podem provocar mais acidentes com o desequilíbrio de ciclistas ou motociclistas. “A não ser uma lombada. Mas o que eu vou fazer é melhorar aquela faixa de pedestre. Vou fazer uma faixa elevada, com retração e puxando mais à frente”, garantiu o secretário.

Post anterior

Sobreviventes de atentado voltam a fugir de cigano

Próximo post

Começa 2ª etapa de vacinação contra o HPV