Home»Polícia»Homem é morto por PM ao atacar companheira com faca

Homem é morto por PM ao atacar companheira com faca

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Ricardo Alves, 33, morreu na madrugada do último domingo (4) após ser atingido no tórax por um tiro de arma de fogo que foi disparado por um policial militar durante o atendimento de uma ocorrência de desinteligência de casal, no bairro Chácara Nova Odessa. De acordo com o Boletim de Ocorrência, a equipe da PM foi chamada a Rua Sebastião José de Melo, onde um casal estava discutindo.

A mulher que estava brigando com Alves, uma dona de casa, 23, relatou que o desentendimento com o companheiro começou em um churrasco em Mogi Mirim, onde ela chegou a ser agredida. Em seguida, Alves voltou para Mogi Guaçu e foi até a casa de sua mãe. Ao encontrar com o companheiro depois foi recebida de forma violenta e ameaçada de morte. Com isso, a mãe da vítima chamou a Polícia Militar que aparentemente havia conseguido fazer o casal entrar em um acordo. No entanto, quando a ocorrência já estava sendo encerrada, Alves entrou na residência e pegou uma faca e foi para cima da mulher que se escondeu atrás do policial militar.

O rapaz chegou a receber ordem de parada por três vezes, mas não obedeceu ao comando policial e foi para cima da equipe, momento em que o PM atirou contra ele. Equipes de socorro foram acionadas, mas nada puderam fazer pelo homem que morreu na hora.  O delegado plantonista da Central de Polícia Judiciária (CPJ), Richard Alain Lolli, explicou à Gazeta que o registro deste caso é de homicídio em decorrência de intervenção policial e que certamente o PM deve ser absolvido, já que agiu em defesa da vida da vítima que estava sendo ameaçada. “O fato é lícito, ele cumpriu seu dever legal. Infelizmente existem situações em que o PM tem apenas uma fração de segundos para agir e, neste caso, o PM não tinha outra saída, sendo que ele mesmo ou a mulher é quem poderia ter perdido a vida”.

Ainda de acordo com Lolli, Alves teria feito uso de drogas durante todo o domingo, motivo pelo qual estava muito alterado. Além disso, ele já possuía passagens na polícia pelos crimes de roubo e homicídio. “Também é importante ressaltar que toda a versão da equipe policial foi confirmada por testemunhas e pela mulher que estava sendo ameaçada”, comentou.

O delegado finalizou dizendo que os laudos de perícia e a faca apreendida também devem apontar a ação legítima do PM. 

Post anterior

Comerciante é baleado ao reagir a assalto

Próximo post

Morte PM: R$ 57 mil são encontrados com menor