Home»Destaque na Home»Homem de 58 anos é preso por pornografia infantil

Homem de 58 anos é preso por pornografia infantil

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Policiais Civis da Seccional de Mogi Guaçu participaram, nesta quinta-feira (17), da segunda fase da operação intitulada “Luz da Infância II”, com o objetivo de reprimir a exploração sexual infantil, praticada sobretudo por meios informáticos.

Segundo o delegado Anderson Cassimiro de Lima, titular da delegacia de Itapira,  dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos na cidade de Itapira, sendo que em um dos casos um homem de 58 anos foi preso em flagrante.

Os policiais chegaram às duas residências por volta das 6h e, em uma das residências, o homem de aproximadamente 30 anos não foi encontrado. Ele estaria fora do país. Na residência foi encontrado material pornográfico infantil no notebook. Por isso, demais aparelhos eletrônicos da casa foram apreendidos, como computadores e telefones. O material será encaminhado para a perícia e o homem já foi indiciado e será pedida sua prisão. O juiz decidirá se será temporária ou preventiva (aguardando o julgamento preso).

Na segunda residência, outra equipe flagrou o homem de 58 anos com o material pornográfico e seu último acesso foi na noite de ontem (16). O delegado está concluindo nessa tarde a prisão em flagrante e ele deve ser apresentado em audiência de custódia. O juiz decidirá se ele segue preso. Ambos são conhecidos na cidade de Itapira, mas não tiveram a identidade revelada pela Polícia.

Lembrando que é crime armazenar, difundir e manter fotos e arquivos relacionados a pornografia infantil/adolescentes .

Os trabalhos foram coordenados pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), de São Paulo. Até o final da manhã 66 pessoas haviam sido presas.

Foram meses de investigações e minucioso rastreamento de transferências e compartilhamentos de arquivos com conteúdo de exploração sexual de crianças e adolescentes, a fim de que fossem obtidas as localizações exatas dos alvos.

Mais de 250 policiais civis do Estado de São Paulo, divididos em equipes técnicas e operacionais, estiveram empenhados na missão de cumprir 166 mandados de busca, sendo 55 deles cumpridos na Capital, 40 na região metropolitana e 71 em cidades do interior paulista.

A operação ocorre em âmbito nacional, com coordenação da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e é realizada também em outros Estados brasileiros, pelas suas respectivas Polícias Civis. Os policiais de Campinas receberam da Senasp os endereços dos investigados. A coordenadoria das investigações da Senapas foi o órgão responsável por levantar todos os IPs dos computadores em todo o país que acessavam e arquivam as imagens de pornografia infantil.

A primeira deflagração desta operação ocorreu em outubro de 2017, resultando em 108 prisões, 25 delas somente no Estado de São Paulo, bem como na apreensão de inúmeros equipamentos informáticos e eletrônicos com conteúdos de exploração sexual infantil.

 

Operação Safenet

Amanhã (18), em todo o país o dia é dedicado ao Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual Infantil. Por isso, ações concentradas de combate aos crimes envolvendo vítimas nessa situação são deflagradas pelas forças de segurança durante essa semana. A PF segue continuamente realizando ações, a fim de reprimir o abuso e a exploração sexual de menores em todas as suas modalidades.

Durante o cumprimento dos mandados foram apreendidos celulares, mídias (CDs e DVDs) e computadores que serão encaminhados à perícia, a fim de identificar outros envolvidos que compartilhavam imagens e vídeos contendo material pornográfico.

Na Capital, a PF cumpriu sete mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Santo André, Guarulhos e Suzano. Três pessoas foram presas em flagrante na posse de material pornográfico infantil, sendo duas em São Paulo e uma em Santo André.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelo crime de adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. As penas de um a quatro anos de prisão.

Desde 2017 foram realizadas 29 prisões em flagrante pelo crime de posse de material pornográfico infantil e foram cumpridos 95 mandados de busca e apreensão em investigações de combate à pedofilia, realizados na grande São Paulo.

 

(K.A com informações da Polícia Civil e da Polícia Federal)

 

 

 

 

Post anterior

Tentativa de homicídio no Jardim Santa Terezinha

Próximo post

Radar da XV de Novembro passa por aferição