Home»Caderno Multi»Hobby de guaçuanos é fazer jardins comunitários

Hobby de guaçuanos é fazer jardins comunitários

5
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A primavera começa na próxima quarta-feira, dia 23, às 5h20, e vai até o dia 22 de dezembro. Ela é a estação que marca a passagem entre o inverno e o verão deixando tudo mais alegre e colorido.De acordo com o Climatempo, a Primavera terá a influência do El Niño e, por isso, a chuva deve ficar acima da média no Sul do país. Áreas de São Paulo e do Mato Grosso do Sul também serão beneficiadas com chuvas.

O fenômeno El Niño deixará a Primavera 2015 com temperaturas mais altas do que o normal, principalmente em outubro. Em novembro, o clima ficará mais ameno, porque com a chuva teremos dias com mais nebulosidade, mas é preciso preparar-se para o calorzão do fim da primavera, em dezembro.

A estação das flores não muda só o clima, ela também traz novas motivações. Em diferentes bairros, cidadãos decidiram arregaçar as mangas e deixar praças e áreas verdes mais alegres. Não desanimaram nem diante da pouca água para manter tudo florido e, agora, esperam que as chuvas da estação façam florescer os canteiros castigados com a seca.

Edna Fashion optou pelas folhagens por serem mais resistentes, na praça do Jardim Esplanada
Edna Fashion optou pelas folhagens por serem mais resistentes, na praça do Jardim Esplanada

Multi Praça Edna Fashion

No Jardim Esplanada, a empresária Edna Barbosa, conhecida como Edna Fashion, preferiu fazer um jardim para decorar a pracinha em frente a sua casa. O projeto de transformar a praça, ainda sem nome, sem iluminação e que servia de ponto de droga, com amontoados de lixo, surgiu há um ano. Edna disse que começou a colocar alguns pneus e a pintá-los, deixando-os coloridos, mas sem noção de paisagismo. “Eu não tinha a intenção de mudar uma praça desse tamanho, apenas fui fazendo”, comentou.

No início, ela bem que tentou cultivar flores. “Fui até Holambra e comprei algumas flores, depois roubaram as mudas e das 80 bromélias ficou apenas meia dúzia”. Edna preferiu, então, comprar mudas de plantas e folhagens mais resistentes ao tempo seco e que não atraíssem tanto a atenção de quem passasse por lá. Hoje, o local tem mais de seis árvores frutíferas em crescimento e um canteiro com ervas.

O aposentado João Batista Mégda sempre trabalhou com construção. Ele lembra com orgulho de ter participado na reforma e construção de mais de 40 praças e canteiros centrais de avenidas na cidade. Até que no início deste ano, Mégda teve a ideia de fazer um canteiro de flores em frente à residência, no Recanto do Itamaracá, aproveitando uma área verde margeada pelo Córrego do Areião.

Ao lado de Júlia, João Batista cultiva margaridas e dálias no jardim, numa área do Itamaracá
Ao lado de Júlia, João Batista cultiva margaridas e dálias no jardim, numa área do Itamaracá

A intenção surgiu por causa de um amontoado de lixo que era jogado na esquina, em cima do gramado. Já a construção dos banquinhos surgiu para pegar a sombra do pé de mamão que cresceu no local. É uma forma de passar o tempo e ensinar para a nova geração o prazer de cuidar das flores e das plantas. O aposentado tem o incentivo da família, o apoio de vizinhos e a companhia da sobrinha-neta Júllia, de 8 anos.

Eles se divertem plantando ou mudando as mudas de canteiro. Neles não faltam margaridas, dálias e rosas. “Gosto das dálias porque as trouxe de Minas Gerais, minha terra natal, e me lembro da minha avó Batistina, que plantava essa flor quando eu era criança”. Em volta do jardim também foram plantados coqueiros, árvores frutíferas e mudas de Ipê de cores diferentes.Multi Primavera Itamaracá João

No Jardim Ypê VII, a ação de uma nova moradora contagiou os vizinhos. A aposentada Maria Aparecida de Souza mudou para o local há dois anos e meio e não se conformava com o lixão em frente a sua casa, em uma área que margeia a Rodovia SP-342. “Era um fedor, ratos, baratas e resolvi pegar uma enxada, capinei e limpei um pedaço”, contou.

A vizinha Nilcélia Alves Ferreira até então trabalhava e decidiu ajudar a vizinha apenas no fim das tardes, logo que chegava do trabalho. Assim, elas começaram a transformar o pedaço de terra. Com apoio do casal Francisco e Maria Bernadete, as vizinhas compraram grama e foram aos poucos criando canteiros. Elas saíam à caça de garrafas pets e pneus, pintavam e deixavam os canteiros de flores ainda mais alegres. Os demais vizinhos da rua também se motivaram e, agora, cada um cuida do pedaço em frente as suas residências.

Maria Aparecida, Nilcélia, Francisco e Maria Bernadete transformaram uma área de despejo de lixo num canteiro de flores
Maria Aparecida, Nilcélia, Francisco e Maria Bernadete transformaram uma área de despejo de lixo num canteiro de flores

Multi Primavera Ipê Sete Nilcélia - Maria Aparecida - Maria Bernadete e Francisco

Post anterior

2ª Mostra de Vinhos terá mais de 60 rótulos

Próximo post

GAZETA, 19 de setembro de 2015