Home»Destaque na Home»Grupo de reclamantes ameaça invadir casas vazias no Ypê Amarelo

Grupo de reclamantes ameaça invadir casas vazias no Ypê Amarelo

3
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Os vereadores vão percorrer o Ypê Amarelo para verificarem a denúncia feita a eles de que há cerca de 200 casas fechadas, sem moradores, naquele bairro. Na sessão da Câmara Municipal desta segunda-feira (13), um grupo de pessoas que está na lista de espera por residências populares da Secretaria Municipal de Promoção Social compareceu à sessão e reuniu-se com os vereadores. O grupo queria saber o que pode ser feito pela Câmara Municipal para que estas residências fechadas sejam retomadas o quanto antes e dadas às outras famílias que estão esperando, conforme a lista. “Estamos esperando há muitos anos por estas casas. Sabemos de pessoas que foram contempladas, mas têm condições de comprar uma casa e não precisam de uma moradia popular. Há centenas de casas no Ypê Amarelo que estão fechadas. Sem ninguém morando nelas”, denunciou, porém, sem citar nomes, endereços ou apresentar qualquer outro documento que comprove a denúncia.

sessao de camara populacao casas

Diante disso, os vereadores explicaram ao grupo que, primeiramente, é preciso comprovar que as casas estão realmente sem moradores. Em seguida, eles deixaram claro ao grupo de reclamantes que – mesmo as moradias sendo retomadas pela Caixa Econômica Federal – elas serão dadas aos suplentes que já configuram na lista da Secretaria de Promoção Social por terem sido sorteados. “O fato de vocês virem à Câmara exigir seus direitos de ter uma moradia popular não significa que estas casas ao serem retomadas serão dadas para vocês. Existe uma lista de espera de suplentes que precisa ser respeitada e obedecida, conforme determina a lei”, explicaram os vereadores.

sessao de camara populacao casas

O grupo de reclamantes não descartou a hipótese de invadir as casas que eles alegam estarem vazias, sem moradores. “Temos um grupo no WhatsApp chamado ‘Bora, Invadir’ e é isso que vamos fazer, porque ninguém está pensando na nossa situação. Muitos não têm mais condições de pagar aluguel, estão com ordem de despejo, sendo que há casas no Ypê Amarelo praticamente abandonadas por quem foi contemplado”, esbravejou o grupo.

Sem muito sucesso na compreensão das explicações, os vereadores reforçaram que a invasão é uma afronta à Justiça e tal atitude irá configurar crime que tornará a situação ainda mais complicada de ser resolvida. “Se vocês invadirem, será pior. Irá virar caso de Justiça. Essas casas tem dono”, pontuaram.

O grupo de reclamantes disse que irá aguardar a visita dos vereadores no Ypê Amarelo para saber quais providências serão tomadas para tentar agilizar a retomada das casas que realmente estiverem sem moradores.

sessao de camara populacao casas

O vereador Jéferson Luís (PROS) apoiado pelos demais afirmou que a Câmara Municipal fará uma Moção pedindo para que a Caixa Econômica Federal agilize a retomada das casas que estiverem aptas a serem dadas para os suplentes da lista de espera. “Nem a Prefeitura, nem os vereadores têm poder de retomar estas casas. A lei federal determina que isso seja feito somente pela Caixa Econômica. Temos de respeitar”, frisou.

Os vereadores também disseram que há possibilidade de a Câmara convocar – por meio de requerimento – a Gerência Regional da Caixa Econômica, de Piracicaba, para prestar esclarecimentos sobre a burocracia que dificulta a retomada rápida de casas vazias.

A secretária municipal de Promoção Social, Mariana Martini, afirmou que desconhece que tenham 200 casas sem moradores no Ypê Amarelo. Ela informou, inclusive, que há 41 casas desocupadas naquele bairro, e que os ofícios referentes à retomada dessas residências já estão com a Caixa Econômica Federal, já que cabe ao banco retomá-las. “Mas continuamos á disposição para receber denúncias e documentos que as comprovem”, reforçou Mariana.

 

 

Post anterior

23 adolescentes são retirados de Clínica

Próximo post

Curtas: Tiros em Mogi, bar lacrado e ameça